Desenvolvimento de Alto-Kawele passa por união de todos

Por Alfredo Dikwiza

Kangola, 12/09 (Wizi-Kongo) –Tornar Alto-Kawale num contexto sustentável e mais desenvolvido com união de todos, principalmente os filhos e naturais de Kangola, província do Uíge, foi defendido hoje pelo administrador local, Pedro Coxe Zua como sendo uma das formas para garantir o bem-estar das famílias. A intenção do administrador da circunscrição foi manifestada hoje, quinta-feira, na sede de Alto-Kawale, município de

Kangola, 182 quilómetros a sudeste da cidade do Uíge, durante o culto ecuménico de acção de graças que antecedeu abertura das festividades de Kangola, desde que ascendeu a categoria de vila a 12 de Setembro de 1960, estando as festividades da quarta edição decorrerem sob lema ” Alto-Kawele 59 anos com esperito de união e solidariedade, rumo ao desenvolvimento”.

Segundo ele, rematou que o lema em causa visa chamar atenção para todos os munícipes afastarem-se do tribalismo e do regionalismo, bem como saberem respeitar a opinião dos outros e que os habitantes desta parte de Angola não devem fazer a justiça com mãos próprias, como em algumas vezes costuma acontecer, esquecendo-se para quem o prática que existe órgão de justiça que tratam de assuntos de desavenças.

“Não devem fazer a justiça com mãos próprias como têm acontecido em algumas vezes, queremos tornar o Alto-Kawale num contexto sustentável e mais desenvolvido com união de todos para o bem-estar das famílias”, sustentou e pediu em seguida os munícipes que festejem na base do amor e harmonia, por ser um direito e dever dos cidadãos.

Para presenciar o acto de abertura das festividades dos 59 anos de existência de Kangola, Afonso Luviluku, vice-governador para sector técnico e infraestrutura, em representação do seu superior hierárquico, Mpinda Simão, ao tomar a palavra disse fazê-lo com imensa satisfação e que deslocou-se a Kangola para anunciar que o seu governo grandes esforços estão sendo evidenciados para o desenvolvimento desta circunscrição.

Para isso, observou, estes esforços do governo devem ser acompanhados pela mudança de mentalidade dos munícipes locais, evitando a distribuição dos bens públicos já existentes e evitar serem os promotores e causadores de males no seio das comunidades. “Principalmente os jovens, devem evitar serem os causadores do mal, antes pelo contrário devem abstecer-se de acções que não ajudam as comunidades estarem em um ambiente salutar”, aconselhou, tendo, para isso, reforçado as seguintes palavras “durante as festividades da vila de Kangola sejam comemorados num ambiente de paz, amor e harmonia”.

Com uma estensão territorial de 2.975km2, ocupados por 61 mil e 964 habitantes, duas comunas (Kayongo e Bengo), 22 regedorias e 118 aldeia, numa densidade de 18 pessoas por cada km2, Alto-Cauele, sede da vila de Cangola, fica situado a sudoeste da cidade do Uíge a uma distância de 182 quilómetros. Limita-se ao norte com o município de Sannza Pombo, ao leste e sul com os vizinhos município de Malanje (Massango e Calandula) e oeste com os municípios de Negage e Púri, respectivamente.

É situado no paralelo 16 de latitude sul e 18 de longetitude do merigrãos de Grew, com clima tropical húmido e quente, com duas estações anuais, seco e chuvoso, possuindo recursos hídricos, florestais, inertes e solo arável favorável para a produção da agricultura.

Comentário
Fichier hébergé par Archive-Host.com

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.