Aumenta procura de antipaludicos em Ambuila – diz chefe de Centro de Saúde

Uíge: Equipamento de combate à malária. Foto: angop

Ambuila – Os fármacos para o combate contra a malária, como coartem, asaak e quinino, figuram entre os produtos mais solicitados nas farmácias de Ambuila, em consequência dos elevados casos de paludismo diagnosticados nesta parcela da província do Uíge, nos últimos dias, fez saber hoje (segunda-feira) o chefe do Centro de Saúde Municipal de Ambuila, Nlando Makinsona

Em declarações à Angop, a fonte afirmou que, pelo menos 70 consultas são feitas por dia, na vila, das quais 90 porcento dos diagnósticos têm a ver com malária, o que aumenta a procura de antipaludicos no município.

Por sua vez, Álvaro Afonso, da farmácia “Leninha”, confirmou que, nos últimos 30 dias, os antipaludicos têm mais saída no seu estabelecimento, comercializados no valor de 300 a 2000 Kwanzas, por unidade.
“Desde que começou a chover, fortemente, quase em todas casas na vila têm, pelo menos, um membro com gripe, febres ou dor de cabeça”, observou o farmacêutico.

O chefe da vigilância epidemiológica, Luindula Tombe, afirmou à Angop que, na semana finda, foram diagnosticados 298 casos de malária, contra 172 da semana anterior.

Fez saber que as unidades sanitarias das povoações de Mayanga, de Kissengui e Sede do município diagnosticaram 366 casos, nos últimos sete dias.

Luindula Tombe revelou que, para se evitarem as mortes, os pacientes recorrem às farmácias privadas, para adquirir os fármacos que, muitas vezes, estão em falta nos centros de saúde.
O município de Ambuila dista 100 quilómetros a sudoeste da cidade do Uige, e tem uma população de 16 mil e 654 habitantes, distribuídos em 54 povoações.

Via Angop

Comentário
Fichier hébergé par Archive-Host.com

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*