Automobilistas satisfeitos com reabilitação da via Kitexe/Ambuila

Ambuila – Os automobilistas que fazem diariamente o trajecto Kitexe/Ambuila, num percurso de 73 quilómetros, manifestaram, segunda-feira, naquela circunscrição, a sua satisfação pelo o andamento das obras de reabilitação em curso no referido troço, desde meados do ano transacto.

Em declarações à Angop, o motorista Makutima Daniel disse que o trabalho está a proporcionar uma boa circulação de pessoas e mercadorias, além de encurtar a distância.

“Antes do início da reabilitação da via, fazíamos mais de três horas de andamento entre Kitexe e Ambuila, hoje este trajecto está a ser percorrido em uma hora e 30 minutos”, enfatizou, Makutima Daniel, visivelmente satisfeito.

André Paulo, outro automobilista, disse que o trabalho em curso está a facilitar a vida de todas as pessoas que diariamente fazem esse percurso, onde muitos utentes já viram as suas viaturas a danificarem-se devido ao mal estado da mesma, na altura.

Já o director de Fiscalização da Administração Municipal de Ambuila, Jacinto Bernardo, apelou aos automobilistas para uma condução cautelosa e responsável, tendo em conta as obras em curso, com vista a prevenir os sinistros.

Para este responsável, devido aos trabalhos em curso,  aumentaram os obstáculos e os importunos ao longo do percurso, devendo os automobilistas terem uma maior precaução já que transportam pessoas e bens,  por formas a evitar os acidentes de viação que possam perigar  vidas  humanas.

“Ao longo do percurso está a acontecer muito corte, movimentação de terra e de máquinas, construção de algumas pontes, obrigando o empreiteiro a abrir vias alternativas, portanto todo o cuidado é pouco”, advertiu Jacinto Bernardo.

A estrada entre os municípios de Kitexe e Ambuila está  a ser reabilitada pela empresa chinesa CTCE, encontrando-se na fase de terraplanagem para posteriormente ser asfaltado.

O município de Ambuila dista a cem quilómetros a sudoeste da cidade do Uíge, capital da província com o mesmo nome, e tem uma população estimada em 16.654 habitantes (censo de 2014). A região tem como actividade principal a agricultura e a exploração de madeira.

Via Angop

Comentário

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*