Circulação entre Zaire e Uíge com melhorias em Dezembro

Por Víctor Mayala | Mbanza Kongo

A circulação rodoviária entre as localidades de Mbanza Kongo, província do Zaire, e de Lukunga, no Uíge, vai ser aberta no mês de Dezembro, com a inauguração da Estrada Nacional 120, soube  o Jornal de Angola durante uma visita que o governador do Zaire, Joanes André, efectuou à empreitada.

A circulação vai ser feira por uma estrada de 111 quilómetros de asfalto. Neste momento, as obras de construção da via estão já em cerca de 75 por cento de execução  e decorrem trabalhos de compactação dos solos, construção de muros de contenção, valas de drenagem e  pontes.
A via é uma aposta do Executivo para encurtar a distância entre as duas províncias para   garantir maior fluidez na circulação de pessoas e bens e facilitar o intercâmbio comercial entre as províncias.

Durante a visita, o governador do Zaire   constatou o andamento das obras de construção da nova Estação de Tratamento de Água do rio Lueji, com capacidade para tratar 100 metros cúbicos de água por dia.

A estação vai dispor de um tanque de sedimentação, quartos de dosagem e de bomba para elevação e instalações de apoio, tanque de filtração e um reservatório de água tratada.

Tem ainda  reservatórios, sendo um com capacidade de 200 metros cúbicos e outro de mil metros cúbicos, e uma conduta adutora com extensão de 1,9 quilómetros.

A estação possui  uma outra conduta adutora de dez quilómetros, bem como uma rede de distribuição composta por 95,5 quilómetros. Além deste projecto, o governador provincial visitou  outros projectos, com realce para uma escola primária com 16 salas de aula, para onde vão ser transferidos, no próximo ano, os alunos da escola António Agostinho Neto.

A escola António Agostinho Neto funciona com dez salas improvisadas, que as autoridades municipais de Mbanza Kongo consideram insuficientes para  o número de crianças da localidade.

O governador provincial Joanes André assegurou que as autoridades vão continuar a trabalhar para a melhoria das condições de vida da população, apostando na materialização dos programas traçados pelo Governo do MPLA.

Joanes André adiantou que a actual dinâmica, do ponto de vista de execução de obras, vai ser reforçada, para que novas inaugurações aconteçam até Setembro, com destaque para o Ciclo Combinado do Soyo. Além deste projecto energético, que vai reforçar a rede nacional de electrificação, o governador provincial do Zaire anunciou a abertura do troço entre os municípios do Nzeto e do Soyo, das vias urbanas dos municípios do Nóqui e Tomboco. O governador Joanes André  anunciou também que a circulação na auto-estrada entre os municípios do Nzeto e Soyo (Zaire) vai ser efectivada, a partir de Setembro.

Auto-estrada

Em declarações à imprensa, após um encontro com os moradores dos bairros Kikudo e Nona, periferia do Soyo, o governador  Joanes André assegurou estarem reunidas as condições para a circulação de pessoas e mercadorias deste ponto da província do Zaire para o resto do país, através da auto-estrada, com a conclusão dos trabalhos de asfaltagem das duas faixas de rodagem, das quatro previstas no referido projecto.

“Podemos dizer que o nosso sofrimento chegou ao fim, porque a partir de Setembro já podemos viajar para Tomboco, Nzeto, Mbanza Kongo e Luanda, numa estrada devidamente asfaltada e com todos os serviços técnicos”, referiu o governador provincial do Zaire.

Na primeira fase, a estrada tem 12 metros de largura, com duas faixas de rodagem de 3,75 metros em cada sentido e um metro de berma.
A execução das obras está  dividida em troços e  a cargo de empresas nacionais e estrangeiras.

Os trabalhos foram retomados em Janeiro de 2016, cerca de seis anos depois de serem interrompidos.

População expectante com inauguração da estrada Nzeto-Soyo

Habitantes do município petrolífero do Soyo, na província do Zaire, aguardam com muita expectativa a inauguração parcial dos 150 quilómetros da auto-estrada Nzeto-Soyo.

Entrevistados na semana passada pela Angop, os munícipes foram unânimes em reconhecer que a abertura ao tráfego da primeira faixa de rodagem desta auto-estrada contribuirá para o desenvolvimento socioeconómico da região. Os moradores acrescentaram  que a abertura da primeira faixa, das quatro previstas no projecto, pode   contribuir para a redução do preço da corrida entre o município do Soyo e outras localidades do país.

Para o munícipe João Paulo, 50 anos, o anúncio da inauguração, este mês, de uma das faixas de rodagem da auto-estrada deixou-o bastante satisfeito, pós facilita a circulação de pessoas e mercadorias. “Estamos expectantes com a inauguração desta via, porque para trás ficarão aqueles momentos tenebrosos que atravessávamos na estrada, principalmente no período chuvoso.”

Para Jimy Katanga, comerciante, a abertura do troço rodoviário facilita a entrada de  mercadorias no município do Soyo e a consequente redução dos preços dos bens. “Tenho a certeza de que com a inauguração da primeira fase da auto-estrada Nzeto-Soyo muita coisa pode mudar no nosso município, com realce para os preços dos produtos da cesta básica e do material de construção, augurou.”

Para a estudante Maria Paulo, 27 anos, a conclusão da primeira fase da via Nzeto-Soyo demonstra de forma clara  os esforços do Executivo  angolano em melhorar a qualidade e o nível de vida da população.

Via JA

 

Comentário

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*