Buengas afugenta taxistas e deixa população sem solução

Imagem de Wizi-Kongo

Por Alfredo Dikwiza e Jeremias Kaboco

Uíge, 07/11(Wizi-Kongo) – Por motivos da estrada péssima, trabalhadores dos sector público e privado, comerciantes, empresário e a população em geral, estão sem soluções devido dos taxistas que deixaram de operar com regularidade no município dos Buengas, 250 quilómetros a norte da cidade do Uíge. Retomou a época chuvosa (15 de Agosto) e os problemas aí começaram para aquela circunscrição.

Nos últimos dias, com as constantes cargas pluviométricas que batem-no, piorou de que maneira o estado da gritante estrada, uma realidade que não é nova, concretamente, nos seus 98 quilómetros da sede da vila do Sanza Pombo ao município sede dos Buengas, fazendo com que os taxistas retirassem os seus veículos naquele troço, causando com isso inúmeras dificuldades de quem quer ou sair para a antiga vila da Nova Esperança.

Por ser assim, há três dias para cá, a passagem dos Buengas subiu, deixou de ser (5.000,00, apenas na ida, ou seja, na ida e volta 10.000,00), agora é 7.000,00, perfazendo (14.000,00) na ida e volta. Mesmo assim, poucos são os taxistas que aceitam colocar seus carros por essa estrada, porque o risco é iminente dia pós dia, além disso, as avarias também são frequentes, o que desencoraja os proprietários das viaturas as porém a circular nos 98 quilómetros, isto é, da sede do Sanza Pombo a sede dos Buengas.

Hoje, na sede da vila dos Buengas, como se pode ver na imagem, a equipa do Wizi-Kongo, apesar ter chegado um pouco tarde da paragem, ainda assim, conseguiu encontrar algumas pessoas, pois, as restantes já se tinham retirado por desespero e notou que cada um do seu jeito, estavam aí a espera de um carro podendo ser uma Land Cruser, IFA, DAF, Toyota Hilux ou um outro de maior resistência para os retirar daí rumo aos restantes municípios da região. Mas, até a hora (12), altura em que a equipa deste órgão se retirou do local, não tinha aparecido nenhum carro, muito menos ter observado a entrada de um outro meio vindo do Uíge ou de um outro município.

Buengas, possui uma única estrada de entrada e de saída, também encontra-se isolado em termos de ligação de estrada com os outros municípios, o que faz com que tenha estes obstáculos, principalmente, com a sua estrada que é das piores por se circular a nível dos 16 municípios que compõem a província do Uíge, a par de Milunga, Ambuila e Bembe, respectivamente.

Os seus 78 mil habitantes, distribuídos em três comunas (Nova Esperança/sede dos Buengas), Buenga Sul e Kuilo Cambozo, há tempo sobrevivem desgastadas com essa situação, pior que isso, quer na governação de Paulo Pombolo, quer na actual de Mpinda Simão, muito se falou para a sua asfaltagem, mas nada se viu na prática, ou seja, este projecto não chegou de sair do papel.

Por causa desta situação, o município não funciona em pleno, como deveria ser, porque os investidores ficam com receios atrás do mau estado da estrada, contribuindo assim negativamente na melhoria da vida dos habitantes, estes que também encontram sérios problemas para escoar seus produtos do campo ou mesmo para deslocar-se as restantes partes da província, quiçá de províncias.

Os lamentos e o passar de horas e horas na via, algumas vezes dias, são os ingredientes para quem vai ou sai dos Buengas. Limitada a norte pelo município de Maquela do Zombo, a este pelos municípios de Quimbele e Milunga, a sul pelo município de Sanza Pombo e a oeste pelo município de Damba, o município dos Buengas, é produtor de vários tipos de produtos agrícolas, sobretudo banana, amendoim ou simplesmente jinguba, batata rena, inhame, feijão, gergelim, muteta e outros. A mesma circunscrição, possui uma superfície de 9.202 km2, tendo a sua sede em Nova Esperança, localizada a 250 quilómetros a norte da cidade do Uíge, com uma população estimada de 78 mil habitantes, distribuída em três comunas (Nova Esperança/sede dos Buengas), Buenga Sul e Kuilo Cambozo.

Imagem de Wizi-Kongo
Comentário
Fichier hébergé par Archive-Host.com

1 Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.