A taxa de inscrição no ISCED do Uíge está custar caro!

Por Alfredo Dikwiza

Uíge – As inscrições dos novos candidatos ao Instituto Superior de Ciências de Educação (ISCED), subiram neste ano lectivo, para 3.500 Kwanzas, contra os 2.000 Kwanzas do período anterior. Trata-se de uma medida implementada pela direção da referida instituição acadêmica, liderada por Domingos Kimpolo Nzau, que vai deixando indignado os futuros estudantes.

“Uma instituição do Estado, que de certo modo é orçada, não pode a seu belo prazer aproveitar-se assim do dinheiro dos cidadãos, numa altura em as famílias estão atravessadas pela crise”, disse hoje, sexta-feira, ao Wizi-Kongo, Paulo Risco Tiago. Para Júlio Semedo Mankutima considerou ser absurdo a instituição obrigar os candidatos pagarem 3.500kz, contra os 2.000kz anteriores, o que, segundo ele, ser uma atitude que favorece para quem já possui e prejudir aqueles, que com o pouco ou nada tem.

” Eles só pensam em si, julgam que a boa vida que levam é igual a todos. Por ano fazem-se as inscrições mais de sete mil e 500 concorrentes, multiplicando por 3.500kz, estamos a falar de duzentos milhões e tal de Kwanzas que vai entrar nos cofre daquela instituição, valor este, que de certo modo, será justiçado na compra de papéis e nada mais”, desabafou, Armindo Ngola Kabango. Uma estudante do 3@ ano de química, que pediu anônimo, minutos depois de inscrever a sua irmã mais nova (19 anos), lembrou não saber por onde vai o dinheiro que é pago pelo concorrentes e estudantes, uma vêz, os laboratórios de biologia, química e física, pouco ou não funcionam há anos, assim como na falta de mais salas de aulas, quando ao redor existe um amplo espaço para aumentar o número necessário de salas de aulas.

“Enquanto a classe alta estiver focada em prejudicar o pobre com processos elevados neste e aquele serviço, ainda que o novo presidente vai dizento a bom tom para eliminar a corrupção e o nepotismo, continuaremos na mesma tona”, avançou, Mawalo Afonso. O Wizi-Kongo, tudo fez para entrar em contacto com o director geral do ISCED, Domingos Kimpolo Nzau, mas não foi correspondido, tendo apenas, sido informado por um dos funcionários, que as inscrições estão abertas para os cursos de Geografia, Biologia, Matemática, Física, Química, História, Psicologia, Pedagogia, Pré-Escolar, Ensino Primária, Ensino Especial, Francês, Englês e Português. Por motivos da indisponibilidade dos membros seniores do ISCED, o Wizi-Kongo, viu-se privado sem saber o número de vagas existentes, ou seja, dispuniblizadas no ano lectivo/2018. Foram disponibilizadas para este ano acadêmico 2.600 vagas, contra 2.500 do ano passado.

Amélia Nzumba Teca adiá sonho da universidade

Uíge – Amélia Nzumba Teca adiá sonho da universidade Por Alfredo Dikuiza Uíge, 12/01(Wizi-Kongo)- A cidadã nacional, Amélia Nzumba Teca aparentemente ter 18 anos, filha de pai e mãe camponesa, viu-se adiada o sonho há tempos almejado de entrar na universidade, por motivos financeiros.

Em declarações hoje, sexta-feira, ao Wizi-Kongo, nesta cidade, Amélia Teca, confessou ter optada por essa decisão, através do elevado valor cobrado nas inscrições, tanto no ISCED e no Kimpa Vita, 3.500 e 3.000kzs, respectivamente. “Dizem que são apenas três mil Kwanzas e tal, que ignorância, as pessoas favorecidas não têm da mínima noção o quanto é muito este valor para pessoas como eu.

Os meus pais sofreram muito em fazer biscatos para assegurar os meus estudos no médio, pois, o que eles produzem só serve para a nossa sobrevivência, para isso, já que nestas intuições vale mais o dinheiro, então não que voltar a colocar os meus progenitores nisso”, rematou.

No seu entender, para as duas instituições, perder uma candidata é uma “gota de água no Oceano’ mais para os pais dela, ela mesma e a família no geral, é uma derrota maior e inconsolável, sendo assim, lamentou conformar-se com isso, porque essa é a realidade da província e do país. Como disse, a preferência era seguir o curso de Fisíca, cadeira que domina desde o primeiro ao segundo ciclo e, o ISCED era o alvo número um, por estar perto da residência arrendada pelos pais, e como segunda opção faria o direito no Kimpa Vita, mas para o Kimpa Vita pesa muito nas contas, devido a distância, o que obrigaria apanhar o táxi todos os dias. No ISCED, sustentou, ficaria tão bem estudar, porque não era necessário apanhar o táxi para ir as aulas, além disso, por ter o curso que desde sempre entedeu melhor.

A filha de Afonso Teca e Maria Nzumba, que nasceu a 19 de Março de 2000, virá agora as intenções ao longo do ano tentar frequentar alguns cursos básicos, como culinária, canalização, decoração, francês e gestão empresarial. A primogênita do casal Afonso e Maria, séria a primeira membro na história da família a engessar em uma universidade, já que os restantes membros nunca frequentaram a escola e outros têm somente o primeiro e segundo ciclo concluído.

Wizi-Kongo

Comentário

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*