Ajuda Popular da Noruega liberta cinco campos minados no Uíge

Uíge – Seicentos e vinte e sete mil e 583 metros quadrados de área minada foram libertos de engenhos explosivos e outros objectos em cinco campos localizados no Uíge, no quadro de um projecto implementado, em três mêses na província, pela Organização Não-Governamental Ajuda Popular da Noruega (APN).

Segundo o director adjunto de projectos da APN, Joaquim da Costa, hoje, terça-feira, a próposito do encerramento da acção e entrega simblica dos terrenos, no municipio do Dange-Quitexe, limporam-se três campos, e no Bungo e Maquela do Zombo, um cada.

Financiado pela Embaixada do Japão com 197.583 doláres norte-americanos, é parte de um denominado “Projecto de Desminagem Zaire”, iniciado em Março de 2018 para desminar algumas áreas naquela província e que beneficiou também cinco localidades desta região.

Durante a intervenção nos campos, foram removidos 264 objectos, entre as quais 183 munições diversas e 81 engenhos não detonados, tendo o projecto contemplado ainda acções de educação para às denúncias, sensibilização sobre os perigos com às minas e assistência às vitimas, tendo beneficiado nas três áreas 2.276 populares, mais crianças.

Com o fim deste desafio solidário de desminagem, disse Joaquim Costa, as populações passam a beneficiar de oportunidade para promoverem o seu desenvolvimento de forma sustentavel, sem perigo para às suas vidas, familiares e crianças, principalmente.

Na cerimónia, decorrida no municicipio do Dange-Quitexe, a directora da Acção Social, Família e Igualidade do Género, Vilhiana Simba Bunga, agradeceu a intervenção da APN que permitiu libertar cerca de 62 hectares de terra na provincia que vão servir para à prática da agricultura e a construção de obras sociais nas zonas limpas.

A directora pediu ainda ao Governo do Japão, representado no acto pelo Encarregado de Negócios da sua embaixada no país, Tchinori Matshiro, para que continue a apoiar projectos sociais no Uíge, nestas e outras áreas de intervenção, com acções que contribuam para a melhoria das condições de vida das comunidades, sobretudo rurais.

Via Angop

Comentário

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.