Alfabetizadores no Uíge paralisam aulas Valter Gomes

otografia: Contreiras Pipa| Edições Novembro
Por Valter Gomes
Pelo menos 117 dos 518 alfabetizadores contratados na província do Uíge abandonaram o processo de alfabetização, desde 2017, por falta de pagamento dos seus subsídios, informou ontem, ao Jornal de Angola, o chefe de secção provincial de alfabetização, Albertino dos Santos.“Devido à falta do pagamento dos  subsídios, desde 2015, muitos alfabetizadores abandonaram o processo, deixando centenas de alunos sem professores”, disse Albertino dos Santos, acrescentando que no ano passado a província contou com 518 alfabetizadores, mas no presente ano o número baixou para 401.Segundo Albertino dos Santos, no presente  ano lectivo foram matriculados  27.143 alunos a nível da província. Em relação ao ano passado, houve uma redução de mais de quatro mil alfabetizados, devido à desistência  dos alfabetizadores.  A formação dos  alunos no presente ano está assegurada por 401 alfabetizadores, número insuficiente para responder a demanda dos alunos.

Albertino dos Santos apontou ainda a falta de materiais, como livros, manuais de caligrafia e outros, que dificultam o processo de alfabetização, visto que os poucos materiais recebidos estão esgotados. O processo de alfabetização no Uíge não possui centros ou salas apropriadas para o efeito, funcionando em igrejas, salas de aula do ensino geral e outros espaços provisórios.

“Contamos com o apoio de alguns parceiros sociais, como a Associação Ana Camuana, a Polícia Nacional, Serviços Prisionais, Forças Armadas e Associação de Jovens e Amigos Naturais do Uíge”, disse.

Via Angop

Comentário
Fichier hébergé par Archive-Host.com

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*