Bispo católico destaca reconciliação entre os angolanos nos 16 anos de paz

Uíge – A reconciliação entre os angolanos, o sentido da fraternidade e amizade entre todos, sem racismo e tribalismo, foram apontados pelo bispo emérito da diocese do Uíge, Dom Francisco da Mata Mourisca, como os principais ganhos dos angolanos, nos dezasseis anos da paz efectiva no país.

Em declarações à Angop, a propósito dos 16 anos de paz efectiva, que o país celebra esta quarta-feira, 04 de Abril, o prelado católico afirmou que os angolanos têm vivido fraternalmente sem ressentimentos e quezílias, independentemente da filiação partidária e crença religiosa.

Afirmou que a paz é uma vitória de todos os angolanos, pois que não houve vencidos, nem vencedores, daí a necessidade dela ser preservada a cada dia com atitudes e comportamentos que a engrandeça.

Destacou ainda a construção e reabilitação de estradas, escolas, infra-estruturas sanitárias. “Por isso, não reconhecer os efeitos da paz seria uma cegueira para qualquer pessoa”, frisou o bispo Mata Mourisca.

Defendeu a necessidade de melhorar cada vez mais as condições da população mais vulnerável, nomeadamente, idosos, crianças acusadas de práticas de feitiçarias, que vivem em condições de extrema pobreza.

Apontou igualmente, a necessidade de se reforçar a construção de mais estradas, escolas, hospitais e centros de saúde, o fornecimento de energia eléctrica e abastecimento de água potável, como outros dos desafios a ter em conta pelo governo.

Lembrou, existir ainda no interior do país, em geral, e da província, em particular, zonas onde se constata a inexistência dos principais serviços básicos para a melhoria das condições de vida da população, o que condiciona o bem-estar das mesmas. “Ainda assim, estes problemas têm melhorado bastante nos últimos tempos. Estamos no bom caminho, e para frente, é o caminho “, reconheceu.

Via Angop

Comentário
Fichier hébergé par Archive-Host.com

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*