Causa “covid-19” volta juntar religiosos e Rescova a mesma mesa

Por Jeremias Kaboco/Alfredo Dikwiza

Uíge, 24/06 (Wizi Kongo) – Pela segunda vêz, em pouco menos de um mês, por causa da luta contra a “covid-19”, os líderes religiosos foram notificados pelo governador provincial do Uíge, Sérgio Luther Rescova Joaquim, para mais uma reunião, em vésperas da reabertura das igrejas à luz do decreto presidencial n° 142/20 de 25 de Maio que declara a situação de calamidade pública ao abrigo da pandemia que assola Angola e o mundo no geral.

A reunião foi mantida hoje, quarta-feira, nesta cidade, no Cine Ginásio, na rua do Comércio, com 100 líderes religiosos sedeados no Uíge, porém, na ocasião, os mesmo foram orientadas para criarem as condições necessárias de biossegurança, entre outras medidas ditadas no decreto, concretamente, as da higienização das mãos nos locais de cultos, o cumprimento obrigatório do distanciamento de 2 metros no mínimo entre os fiéis.

Igualmente, aquele governante, salientou que o seu executivo não encerrou as igrejas, mais sim os locais de culto, porque a igreja é o homem e que mesmo não frequentando nelas durante este período, sempre estiveram unidos em oração e, por isso, pediu que se mantem o mesmo espírito, para que a população continue a observar as medidas preventivas sobre a covid-19.

A obediência das regras do novo desafio, cumprindo com as medidas para o bem de todos, embora a província não regista nenhum caso suspeito da doença, igualmente, foram recomendadas pelo governador, tendo mostrou-se solidário com as províncias de Luanda e Kuanza Norte, únicas regiões do país que registam casos positivos desta doença.

Os líderes religiosos, no final do encontro, agradeceram a iniciativa do governador e, em seguida, manifestaram o seu apoio no combate desta pandemia, cumprindo com as medidas de prevenção, tendo os mesmos solicitado o reforço de meios de biossegurança e formação dos técnicos que vão manusear os equipamentos. Entretanto, o departamento da saúde provincial, mostrou-se disponível para o efeito.

Comentário

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.