Eleições na APFU “cheiram mal” e Kinito repudia rádio Uíge no favorecimento ao candidato da lista A

Por Jeremias Kaboko/Alfredo Dikwiza

Uíge, 24/06 (Wizi-Kongo) – Tal como em 2016, este ano/2020, outra vez, às eleições ao cadeirão número um da Associação Provincial de Futebol (APFU), acontecer no dia 27 do mês e ano em curso, “cheiram mal”, segundo denunciou, ao Wizi-Kongo, Joaquim Manuel Fernando (Kinito), que, em seguida, repudiou forte a postura optada pela emissora da rádio Uíge no que tange ao favorecimento do candidato da lista A, António Neves Agostinho, seu adversário direito na disputado do quadriénio 2020/2024.

“Com três semanas antes de suporte comercial na rádio Uíge, o candidato da lista A, António Neves Agostinho, fez a campanha fora do tempo, quando na verdade, a campanha tinha autorização somente para dois dias, isto é, de domingo (21) até terça-feira (23), aqui estamos a dizer que há violações muito flagrantes que detectamos a luz do artigo 25, da lei seis de 23 de Maio, então, a pergunta que fica no ar é, como isso é foi possível acontecer e, se os resultados não forem a contento, afirmo anteceder que só por este facto, as mesmas serão impugnadas”, confessou, hoje, quarta-feira, ao Wizi-Kongo, o candidato da lista B, Kinito.

Por outro, apontou, este tratamento desigual lesa todo um processo e, pior, é ter também uma comissão eleitoral tendenciosa, que não forneceu as editais, muito menos o regulamento eleitoral, nem um outro suporte em volta da criação destas eleições.

Tendo lembrado que, em 2016, houve escândalos nas eleições que ditaram a vitória de António Neves Agostinho, em que criou-se um senário neste ano, tudo a favor dele e, para o seu espanto, como admitiu, o chefe de departamento da juventude e desporto local, que, na altura viu serenamente as coisas acontecer, este ano/2020, aparece como presidente da comissão eleitoral, ferindo de certo princípio este processo eleitoral.

“Os três dias de campanha eleitoral também foi uma violação, não se sabe porque se correu tanto aqui no Uíge, os prazos foram violados e indignou-me o porque da tanta pressa, para os legisladores políticos, concretamente, o partido no poder, solicito que as eleições desportivas devem também ser fiscalizadas pelas respectivas federações para, com isso, evitar litígios, temos estado a reclamar que é necessário igualmente que o Tribunal Arbitral dos Desportos (TAD) seja colocado em disposição da comunidade desportista”, manifestou.

E, continuou, Joaquim Manuel Fernandes, senão for um tribunal, como tal, então, que, haja uma sala dentro das comarcas que possa trabalhar na resolução dos conflitos que emergem no desporto, mormente, do futebol, já que, “nós notamos várias violações e irregularidades”, cujo lema da sua candidatura é “ unir com objectivo maior o futebol”, suportado no resgate da mística desportiva na região.

Fazem parte, igualmente, entre outras linhas da proposta do quadriénio 2020/2024 de Joaquim Manuel Kinito como “unir os clubes”, “trazer todas as vontades que concorrem para o bem do futebol local”, “numa única tribuna desportiva, todos para gerar desenvolvimento desportivo no Uíge”, “colocar os distintos autores falarem a mesma linguagem de futebol”, bem como “homenagear os antigos praticantes de futebol” e “recuperar os campos para a prática da modalidade”.

Hoje, depois da entrevista com o candidato da liste B, o portal Wizi-Kongo, solicitou uma entrevista com o outro candidato, isto é, António Neves Agostinho, mas até ao momento não obteve êxitos. Contudo, este portal volta, nesta, quinta-feira, solicitar o presidente cessante da APFU, para, igualmente, informar o seu programa no quadriénio e também de outros assuntos.

Comentário

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.