Estratega política e militar de Jonas Savimbi exaltada no Uíge

Por Alfredo Dikwiza / Jeremias Kaboco

Uíge, 16/03 () – A estratega política e militar de Jonas Savimbi, foi hoje, nesta cidade, exaltada em conferência provincial, pelo Secretário para Ressecação Social da UNITA, Mercado Ernesto Chiakukinha, no quadro das comemorações dos 53 anos, assinalados nesta quinta-feira (13), desde a fundação do partido do galo negro a 13 de Março de 1966.

Como disse, a sua trajectória revolucionária que muitos tentaram anular e sem sucesso pela imposição da força dos factos teimosos legados a Angola, aos angolanos e aos africanos, ultrapassando as fronteiras filosóficas, politicas, sociais, económicas e culturais da UNITA, que fundou nos anos 60 do século XX.

A figura de Jonas Savimbi, avançou, é reconhecida como revolucionário que permitiu Angola trilhar a caminhada de construção do estado democrático de direito do estado da república de Angola, tendo desde muito sedo, Savimbi, esforçar-se na unificação das forças nacionalistas angolanas para negociação com as autoridades colonialistas portuguesas, nos termos da independência do país, no caso, Angola.

Entre, 1974 e 1975, Savimbi, desembarcou no aeroporto da cidade do Huambo, então Nova Lisboa, nos primeiros momento da entrada dos Movimentos de Libertação Nacional, por isso, os nomes mais importantes da história política de Angola dos anos 60, estão relacionadas contra o colonialismo português, contra o expansionismo Russo/Cubano, na África Austral e a construção do estado pós colonial de Angola, onde destacam-se Holden Álvaro Roberto, António Agostinho Neto, Jonas Malheiro Savimbi (1934/2002), Simão Gonçalves Toco e José Eduardo dos Santos.

Mercado Ernesto Chiakukinha explicou que desde muito cedo, isto é, nos anos 50, Savimbi, introduziu-se nos movimentos clandestinos de lutas politicas de libertação de Angola do jugo colonial português, em Angola e em Portugal, tendo sofrido cadeia na PIDE, depois de sair clandestinamente de Portugal foi para Suiça onde crio as bases de contactos com o movimento revolucionário encabeçada pela UPA, MPLA e outros de menor expressão.

Os métodos e teorias de Savimbi, contribuíram em Angola na afirmação das ciências humanas e militares , tendo em consideração a especificidade do país, tornou-se num requisito urgente para se dar validação científica aos conhecimento produzidos que satisfazem as ciências humanas e militares a nível universal em face dos resultados obtidos, tendo adiantado que foi a partir destes métodos que o fundador da UNITA fundamentou suas pesquisas revolucionárias que permitiram desenvolver a própria metodologia de ensino desenvolvido durante a resistência colonial e ao expansionismo Russo/Cubano e a orientação da revolução no seu todo, em Angola.

Segundo ele, a investigação chegou a solução do problema colocado a UNITA a 8 de Fevereiro de 1976, com a tomada da cidade do Huambo, pelo corpo expodicionário cubano, foi razão de estudo para se perceber os métodos epistemológico en os conhecimentos que fundamentaram a decisão em encetar o caminho da resistência contra uma das potências da guerra fria a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas URSS e o seu aliado da Cuba, que interveio em Angola com um corpo de exército expicionário.

Como destacou, a experiência da UNITA foi importante pelo arsenal dos conceitos filosóficos, políticos, estratégicos, diplomáticos e militares criados e praticados, uma experiencia, segundo disse, importante pela especificidade deste arsenal de conceitos por se relacionarem com Angola e com toda trajectória de luta anti-colonial.

Para ele, a estratégia política militar de Savimbi foi operacionalizada através da engrenagem doutrinária, cujo epílogo é a visualização das decisões tomadas no dia 8 de Fevereiro de 1976, pois, para muitos que julgavam aquela decisão aventureira ficaram desmentidos pelos resultados da revolução contra o expansionismo Russo/Cubano, na África Austral, quer ter passado para história da revolução em África e em Angola.

Observou dizendo que, a guerra civil em Angola terminou também através de uma negociação, muito embora fraca nos seus resultados, mas a escola do pensamento de estratégia política militar de Savimbi, é aquela que sempre apontou para luta prolongada para fazer das forças fracas em fortes, que desempenhariam o papel de obrigar a parte oponente ao diálogo.

Jonas Malheiro Savimbi, nasceu aos 03 de Agosto de 1934, na localidade de Munhango, na província do Bié, filho de Loth Malheiro Savimbi e Helena Bundu, morreu no campo da honra aos 22 de Fevereiro de 2002, nas margens do rio Luori, nas proximidades da comuna Luvuey, no município do Lumbala Nguimbo, na província do Moxico.

Comentário
Fichier hébergé par Archive-Host.com

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.