Fuga à paternidade preocupa no Uíge

Por Moniz Francisco

Organizações da sociedade civil e o Gabinete Provincial da Família, Acção Social e Igualdade do Género na província angolano do Uíge estão preocupados com elevado número de casos de fuga a paternidade, que tem estado na origem da desestruturação de famílias e de casos de violência doméstica em ambos géneros na província.

Entre tantos factores, o estudante de psicologia Alexandre Pedro destacaas condições sociais, o desemprego e a desestruturação das famílias.

“As razoes são muitas, mas seria necessário que reeducássemos as nossa famílias porque isso não só acontece com as famílias pobres, mas também com as famílias com recursos, a desestruturação familiar tem a ver com a educação”, realçou.

O pastor Manzambi Alberto considerou o fenómeno da fuga da paternidade uma “atitude pecaminosa diante de Deus”.

A delegada do o Gabinete Provincial da Família, Acção Social e Igualdade do Género, Rosária da Concessão Alfredo, manifestou-se também preocupada com elevado índice de casos da fuga à paternidade e violência domestica no Uíge.

“Desde o mês de Dezembro encontramos dois bebés abandonados, também identificamos duas senhoras que abandonaram as suas famílias porque os pais as deixaram à sua sorte e encontramos também um menino de 12 anos a cuidar dos menores”, disse Alfredo.

 

Via VOAnews

Comentário
Fichier hébergé par Archive-Host.com

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.