Funcionário bancário detido por furto de mais de 17 milhões de kwanzas

Funcionário do banco BIC, acusado de furto.

Por Alfredo Dikwiza e Jeremias Kaboco

Uíge, 22/01 (Wizi-Kongo) – Um funcionário do Banco Internacional de Crédito, (BIC), cujo nome não foi revelado, foi detido há dois dias, no município do Sanza Pombo, 150 quilómetros a norte da cidade do Uíge, pelo Serviço de Investigação Criminal no Uíge, por motivos de furto de 17 milhões 350 mil de kwanzas, soube, hoje, sexta-feira, Wizi-Kongo, de fonte do Gabinete de Comunicação Institucional e Imprensa do Ministério do Interior local.

Segundo avança a fonte, o criminoso é um cidadão nacional de 36 anos de idade, detido nesta quarta-feira, 20 de Janeiro de 2021, cujo montante tirava das contas dos clientes, tendo sido já encaminhado ao Magistrado do Ministério Público para a legalização da situação carcerária, depois que as forças de investigação o deteram.

Ele, como esclarece a fonte do MININT/Uíge, aproveitava-se da função de tesoureiro e, efectuava de forma faseada, continuada a transferências de dinheiros das contas dos clientes para a sua e de seus familiares, totalizando o valor acima mencionado de dezassete milhões, trezentos e cinquenta mil kwanzas.

DETIDO INSPECTOR DA EDUCAÇÃO POR VIOLAR MENOR DE 15 ANOS

Igualmente, a mesma fonte, sublinhou ao Wizi-Kongo, que, o Serviço de Investigação Criminal no Uíge, deteve nesta quinta-feira 21 de Janeiro, por mandado de detenção a ordem da Procuradoria Geral da República do Uíge, um cidadão angolano de 41 anos de idade, por sinal Inspector Provincial da Educação, suspeito de violar sexualmente uma menor de 15 anos.

Suposto violador de menor

De acordo a fonte, o histórico dos factos apontam que por volta das 15 horas do pretérito dia 27 de Novembro de 2020, a vítima em companhia de sua amiga suposta sobrinha do acusado, vinham da escola, apareceu o acusado deu-lhes boleia até ao bairro Candombe-Velho, tendo lá deixado a suposta sobrinha e de seguida manobrou a viatura em direcção ao seu escritório no bairro Papelão.

Já no escritório, sustenta a fonte, o suspeito obrigou a ofendida a consumir bebidas alcoólicas, até ao ponto de embriagá-la. Na sequência, a meteu no seu carro e levou-a para sua fazenda, onde abusou sexualmente.

De regresso, por voltas das 19 horas, de formas a abafar o caso, entregou-lhe 2 mil kwanzas para que não falasse aos seus pais. Incomodada com a situação, a menor informou o sucedido aos progenitores que prontamente formalizaram uma queixa-crime junto do SIC. Entretanto, o MININT/Uíge referiu que o suspeito já se encontra nos calabouços do SIC e será presente ao Ministério Público para o devido tratamento que se impõe.

Comentário

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.