Partidos da oposição repudiam 14 de Abril dia nacional da juventude

Por Alfredo Dikwiza e Jeremias Kaboco

Uíge, 12/04(Wizi-Kongo) – As quatro forças políticas da oposição angolanas, nomeadamente, UNITA, CASA-SE, JPA, PRS e JFNLA repudiam hoje, sexta, nesta cidade, em acção conjunta o 14 de Abril dia nacional dedicado a juventude, mas que passou particularizado pelo partido no poder, o MPLA.

Para isso, os braços juvenis das quatro forças políticas, concretamente, JURA, JPA, JURS e JFNLA), representados pelos seus primeiros secretário, nomeadamente, Simão Teka Manuel, Lucas Kambitulu Fernando, Tostão Kussata João de Costa e Tomás Garcia Pedro, em conferência de imprensa realizada na sala de reunião do partido do galo negro, admitiram que o dia nacional da juventude infelizmente nos dias de hoje foi partidarizada e passou a não ser convencional entre a classe juvenil do país.

Para os efeitos, as organizações juvenis dos partidos políticos e coligação de partidos políticos com acento parlamentar na oposição (JURA, JPA, JURS e JFNLA), convocaram em conjunto esta conferência de imprensa de maneira a demonstrar o repúdio pelas comemorações alusivas a esta data, da qual a oposição demarca, tendo adiantado que se se quiser realmente ter um país virado para os carris do desenvolvimento e fazer de Angola um bom lugar para se viver, definitivamente, tem que se desfazer das convicções partidárias.

“Muitas foram as figuras jovens que se bateram para a libertação colonial e o alcance da independência nacional, antes do surgimento dos movimentos políticos e não representavam cores partidárias, entre elas destacam-se figuras tais como: REI MANDUME YANDEMUFAYO, REI NGOLA KILUANGE, KIMPA VITA, EKUIKUI, RAINHA NGINGA MBANDE, PRÍNCIPE NPANZO A NZINGA entre outras figuras, que tiveram destaque na nossa história e têm datas bem identificadas que poderiam ser mais consensuais”, ressaltaram.

As organizações juvenis de partidos políticos na oposição, avançaram, também têm seus líderes juvenis históricos e datas alusivas a suas homenagens, tais como: Samuimbuila, patrono da JURA, que tombou aos 18 de Julho em combate; Manuel Hilbert de Carvalho Ganga, patrono da JPA assassinado em actividades por guardas presidenciais a 23 de Novembro de 2012; Kahumba Ndjungo, patrono da JURS, 06 de Abril de 1991 e João Baptista Traves Pereira, Patrono da JFNLA á 20 de Outubro.

“Defendemos que o dia nacional da juventude não seja um fundo branco para a homenagem de uma figura que defendia cores partidárias, mas que seja uma figura neutra e capaz de trazer consenso entre as classes juvenis da sociedade angolana, para uma verdadeira reconciliação nacional, a história do país não pode ser refém de certo grupo, ao ponto de chegar a confundir-se com a história de um partido, pelo que, pedimos por isso as entidades de direito que se reponha a verdadeira história de Angola, porque ela existe”, observaram.

Continuando que, desde já sugerir como data da juventude angolana o 6 de Fevereiro, data em que na altura ainda muito jovem, o Rei Mandume suicidou-se, num gesto de heroísmo puro, negando categoricamente render-se diante da potência colonizadora, ou o 4 de Outubro, data da criação do Conselho Nacional da Juventude.

Sabe-se que a maior parte da população angolana é jovem, apontaram, para isso, a constituição da república de Angola no seu artigo 81º referente as políticas juvenis, na sua alínea n:1 elenca um conjunto de protecções especiais, para a prossecução e efectivação dos seus direitos económicos, sociais e culturais.

Na alínea n:4 estabelece que o estado em colaboração com as famílias escolas empresas associações e fundações de fins culturais e colectividades de cultura e recreio fomenta e apoia as organizações juvenis na prossecução daqueles objectivos bem como o intercambio internacional da juventude.

Sendo assim, resumiram, pede-se ao governo que implemente política juvenis que visam melhorar a condição social da juventude angolana, para a efectivação dos direitos constantes na Constituição da República de Angola como: o primeiro emprego, a formação académica e integral do jovem, o direito a habitação, entre outros.

Antes de terminar, as quatro forças políticas reunidas em uma só voz, dissaram o seguinte ” gostaríamos de parabenizar a JMPLA pela comemoração de mais uma data alusiva as homenagens de um dos seus mais destacados comandantes (Hoji-Ya-Henda)”.

Comentário
Fichier hébergé par Archive-Host.com

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.