Santa Rita FC sem “génio e arte” para saborear primeira vitória em casa

Imagem de arquivo.

Por Alfredo Dikwiza

Uíge, 18/12 (Wizi-Kongo) – No seu regresso ao Girabola –Zap2018/2019, os católicos do Uíge continuam sem arte e nem génio para saborear a primeira vitória no campeonato, hoje, terça-feira, perderam diante do Desportivo da Huíla, por 0-1, em jogo da sétima jornada do campeonato nacional da primeira divisão, vulgo Girabola-Zap.

Depois de beneficiar de três pontos na secretária, em jogo da primeira jornada, através do Recreativo da Caála por não comparecer no reduto do jogo, outros três jogos disputados em casa, o Santa Rita FC, consentiu duas derrotas por 1-2 e 0-1, respectivamente, com o Bravos de Maquis e Desportivo da Huíla, bem como de uma igualdade a zero bolas com o Kabuscorp do Palanca.

Ao tentar redimir-se hoje, no estádio 4 de Janeiro, do empate consentido na jornada anterior (sexta), diante do Inter Club, em Luanda, o Santa Rita FC entrou melhor no encontro desde os minutos iniciais com intenção de inaugurar o marcador, tendo aos seis minutos, o avançado Cely (Santa Rita) ter sido derrubado na grande área por Sidney, mas o árbitro não assinalou a grande penalidade.

Com o Desportivo da Huíla recuado na sua defesa, os católicos continuaram a comandar no jogo, mais pecavam no último reduto para finalizar as jogadas com beleza que saiam do lado direito, esquerdo e do meio campo. Assim, numa jogada que envolveu Sozinho, Cely e GTI, aos 26 minutos, os donos de casa por um pouco chegam de violar a baliza sobre proteção de Ndula (Desportivo da Huíla), depois de um remate forte do médio Edmilson à entrada da grande área dos visitantes, mas em dois tempos o número um dos visitantes controlou a bola.

Depois desta jogada até ao intervalo, pouco ou nada mais se viu apesar das constantes jogadas dos donos de casa na área dos forasteiros. No reatamento do jogo, a história voltou a repetir-se nos instantes iniciais do desafio, com o Santa Rita FC em querer adiantar-se no marcador, mais a falta de génio e arte dos seus avançados e médio, o desejado golo tardava em acontecer.

Contra corrente do jogo, aos 58 minutos, o avançado Rasak, do Desportivo da Huíla, por um pouco alterou a marcha do marcador (0-1), mas mesmo estando cara-a-cara com o guarda-redes Bem-Vindo, mandou a bola para fora, tendo deixado incrédulo o seu colega de equipa Bruno de Jesus que serviu-lhe com todos os ingredientes. Numa jogada aparentemente inofensiva, na cobrança de um livre, aos 66 minutos, o Desportivo da Huíla, chegou ao golo (0-1), através Leonel, ante a uma defesa lenta dos católicos, que deixaram o avançado isento de marcação na pequena área e na cara do Bem-Vindo não perdoou.

Na resposta, Foquinho, avançado inconformado dos católicos por um pouco igualou o encontro (1-1), depois de efectuar um forte cabeceamento à entrada da grande área, mas a bola saiu perto do posto direito da baliza do guarda-redes Ndulo. Dos 70 minutos aos 90, as duas equipas tudo fizeram para chegar ao golo, mas sem êxitos, tendo o resultado fixar-se em 0-1.

Na próxima jornada, o Santa Rita FC, desloca-se em Luanda para defrontar o (ASA).

Eis como ocorreu o jogo:

Estádio: 4 de Janeiro

Assistência: Mais de cinco mil espectadores

Equipa de arbitragem chefiada por Rafael Dala e coadjuvado pelos assistentes Nelson Quiala e Pedro Micolo.

Resultado ao intervalo: 0:0 Resultado final: 0-1 Marcha no marcador (Leonel aos 74´)

Equipas Santa Rita FC:

Bem-vindo (gd), Zeza, Lelé, Milambo, Cely (Kevinho aos 76´), Sozinho, Edmilson, Yuri (Cap), GTI (Nando aos 67´), Fião (Patrick aos 67´) e Foquinho. Suplentes não utilizados: Toy, Mano das Pistolas, Januana e Lundaca. Treinador principal: Paulo Saraiva.

Desportivo da Huíla:

Ndulo (gd), Edmilson, Leonel, Bruno de Jesus, Sidney, Sargento, Nandinho (Alé aos 65´), Chiwe (Cap), Elias, Milton e Rasak (Maludi aos 82´). Suplentes não utilizados: Malamba, Manuco Dinis, Pedro Cagodó e Coio. Treinador principal: Mário Suares. Acção disciplinar, cartão amarelo para Foguinho e Patrick aos 60 e 79 minutos (santa Rita FC) e Edmilson, Leonel, Rasak e Ndulo aos 31, 74, 37 e 87 minutos (Desportivo da Huíla.

Jogo das palavras:

Paulo Saraiva queixa-se da arbitragem O treinador do Santa Rita FC, Paulo Saraiva, queixou-se hoje, terça-feira, dos três penaltis não assinalados pela equipa de arbitragem na derrota de 0-1, diante Desportivo da Huíla, em jogo da sétima jornada. “Aguardamos que o órgão que coordena o futebol no país diga algo sobre o trabalho prestado por essa equipa de arbitragem, porque não é normal que deixam passar três penaltis claros a favor do Santa Rita FC”, lamentou, o treinador em declarações à imprensa, no fim do jogo disputado no estádio 4 de Janeiro.

Por sua vez, o preparador físico do Desportivo da Huíla, Hélder Cruz, admitiu que apesar a sua equipa não ter feito um grande jogo, valeu mais a vitória porque vinha de duas jornadas consecutivas sem ganhar. “Quanto mais vitórias o Desportivo somar fora de casa, melhor, porque com isso tão sedo chegará aos objectivos traçados pela direcção do clube que, é a manutenção da equipa na primeira divisão”, sustentou.

Comentário
Fichier hébergé par Archive-Host.com

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*