Um grupo privado luxemburguês vai instalar na Damba, unidades de produção de bens alimentares

Um grupo privado luxemburguês vai instalar na Damba, unidades de produção de bens alimentares

Luxemburgueses com mais dois investimentos agrícolas em Angola por 55 milhões de euros

Um grupo privado luxemburguês quer investir quase 55 milhões de euros para instalar em Angola uma unidade para produzir carne e outra de enchidos, segundo contratos de investimentos com o Estado a que a Lusa teve acesso.

A estes dois investimentos soma-se um outro, noticiado anteriormente pela Lusa, em que o grupo Zion (com sede no Luxemburgo), através da participação de 60% do capital social que pretende adquirir na empresa angolana Sociedade Massambala, prevê gastar 72,5 milhões de euros para instalar na província do Uige uma fábrica de derivados de soja.

Um dos novos projetos prevê a instalação no município da Damba (Uige) de uma fazenda para a criação de gado, frango e produção de leite, manteiga e iogurtes, sendo 30% para exportação, através de um investimento inicial privado de 24,8 milhões de euros.

Prevê criar 173 postos de trabalho, 168 dos quais para nacionais.

Também aprovado pela Unidade Técnica para o Investimento Privado (UTIP), que prevê incentivos fiscais – como redução do pagamento de impostos durante 10 anos – para estes projetos, está o investimento do mesmo grupo para instalar, naquela província, uma fábrica de enchidos, por 30 milhões de euros.

No total destes três projetos, o investimento alavancado pelo grupo luxemburguês no setor agrícola e pecuário, aprovado pelo Governo angolano, ascende já a mais de 127,5 milhões de euros.

Angola vive uma profunda crise económica, financeira e cambial decorrente da quebra para metade, em 2015, das receitas com a exportação de petróleo.

O Governo angolano lançou em janeiro deste ano um programa que visa dinamizar a produção nacional e diversificação além do petróleo, para travar as importações e aumentar as exportações, gerando outras fontes de divisas, sendo a agricultura a principal aposta.

Mais de dois milhões de famílias angolanas vivem da agricultura, setor que emprega no país 2,4 milhões de pessoas e que conta com 13.000 explorações empresariais, segundo dados governamentais.

Fonte LUSA

Comentário

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.