Rivé Kono promove temas

Por Manuel Albano

Rivé Kono, músico e produtor angolano residente na Suíça, realiza hoje às 20h00, um espectáculo no espaço “Azul e Branco”, no município do Kilamba Kiaxi, para promoção do seu sexto disco “Rivé Música”.

O músico disse ontem ao Jornal de Angola que a intenção é promover o seu novo CD, sendo este o primeiro de vários espectáculos agendados na sua digressão pelo país. O concerto conta com as participações dos músicos Mestre Dangui e Pai Galosina.

No concerto, explicou, vai interpretar canções antigas como “Jeune en vogue”, “Samy Cointnoux”, “Eli”, “Evolution”, dos discos “Evolução” e “Jeune Vogue”, que têm a participação de Papá Wemba, bem como temas dos álbuns “Every Body”, “Rivé Song” e “Triniti”.

Do novo álbum, que deve chegar no mercado em Junho de 2017, o músico disse que vai interpretar os temas “Havemos de voltar”, “Triniiti” e “Kaboscorp”. Com 12 temas, o novo disco contempla os estilos semba, kizomba, kuduro e ndombolo, originário da República Democrática do Congo.

O disco, que traz temas com mensagens de amor, faz uma abordagem sobre as principais dinâmicas ocorrentes nas sociedades modernas e conta com as participações do músico angolano Godé Kondé e do congolês democrático Gabin Ayin.

Alguns aspectos da cultura angolana estão igualmente reflectidos no disco “Rivé Música”, que já tem o tema promocional “Angola cultura”, a tocar nas rádios. O disco está a ser todo produzido e misturado em França.

Rivé Kono tem agendado um show para o próximo  dia 14 de Fevereiro, data consagradas aos namorados, no Cine Atlântico, em Luanda.  Com a constituição de uma banda residente no país, o músico espera poder dar espaço aos jovens artistas de mostrarem o seu potencial e garantirem o seu espaço por mérito. “Está é uma forma de evitar gastos com a transportação da minha banda no estrangeiro”.

O músico afirmou que tem estado a produzir muitos artistas nacionais e estrangeiro na Suíça, por permitir a adesão de todos os aspirantes artistas que acreditam nas suas capacidades.
O músico começou a carreira há mais de 30 anos em Angola, no conjunto “Ango Stars”, com o qual fez, de 1979 a 1980, a abertura dos concertos de Matadidi Mário e dos agrupamentos Os Kiezos, Os Jovens do Prenda e Inter Palanca.

O cantor imigrou para a Suíça, onde integrou a banda de Papá Wemba, que participou nos coros dos álbuns “Evolution” (1986) e “Jeunes en Vogue” (1992), e ganhou experiência nos concertos de Koffi Olomidé, como vocalista. Em 1995, publicou na Suíça o CD “MC River Espirites”.

Comentário

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.