Confronto entre população e Polícia Nacional resulta em três feridos

Por Alfredo Dikwiza

Uíge, 13/02 (Wizi-Kongo) – Uma cidadã nacional, que encontra-se grávida e dois homens, cujos nomes e idades não foram reveladas, foram feridos a tiros disparados, com armas de fogo, por alguns agentes da Polícia Nacional do comando municipal de Negage, 37 quilómetros a sudeste da cidade do Uíge, soube hoje, quinta-feira, Wizi-Kongo, fonte próximas do Kazanga, local do sucedido.

A mulher e o novo rebento que carrega em seu ventre, bem como os dois cidadãos nacionais, foram baleados a tiros no último sábado (08/02), durante um conflito de terra no município de Negage, concretamente, no bairro Kazanga, entre a população local e os efectivos da Polícia Nacional.

Entretanto, o motivo do conflito foi causado pela administração local, que queria aproveitar-se das terras daquela comunidade. A polícia chamada no local para repor a ordem, efectou disparos com armas de fogo em direcção dos revoltosos, na sua maioria, jovens, alguns foram atingidos sem ferimentos graves, para além das vítimas acima mencionadas.

Assim, os sobreviventes e outros, mesmo não sendo atingidos com tiros, nunca se irão esquecer desta data, certamente, ficará gravado em suas memórias.

Este conflito, começou por contar ao Wizi-Kongo hoje, quinta-feira, uma testemunha, surgiu quando a administração de Negage queria apropriar-se de um espaço de terra dos moradores do bairro Kazanga, então, a população revoltou-se com a administração e não cedeu o mesmo espaço, isto enfureceu os responsáveis da administração de Negage, que, em seguida, chamaram a Polícia Nacional para intimidar as famílias do Kazanga.

A presença da polícia Nacional no local não foi suficiente para que aquela população cedesse o seu espaço a administração de Negage, tal como era o desejado, logo, os efectivos da Polícia Nacional ao notarem essa resistência da população, usaram as armas e efectuaram alguns disparos, provocando três feridos graves, entre eles, uma mulher em estado avançado de gravidêz e dois homens.

Vendo isso, justificou outro entrevistado, a população do Kazanga, dirigiu-se em massa em direcção ao comando municipal da Polícia Nacional de Negage, invadiu-o, vandalizou alguns patrimónios, prendeu o comandante e molestou-lhe em conjunto com alguns de seus agentes.

Porém, foi necessária a presença da Polícia de Intervenção Rápida (PIR), que saiu do Uíge para evitar o pior e manter a tranquilidade sobre a revolta dos Kazaguenses.

Segundo apurou o Wizi-Kongo, presume-se que a administração de Negage, há 5 anos a negocia com a regedoria do bairro Kazanga, para que cedesse um terreno que seria um novo cemitério do município do Negage.

Comentário
Fichier hébergé par Archive-Host.com

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.