Efectivos da polícia nacional recuperam mais 600 armas de diversos calibres

Comissário, Monteiro Matias Francisco dos Santos, Delegado do Interior e Comandante Provincial da Polícia Nacional no Uíge.

Por Jeremias Kaboco

Uíge, 29/07 (Wizi-Kongo) – Seiscentos e 39 armas de fogo de diversos calibres, foram recuperadas pelos efectivos da polícia nacional do Uíge nas mãos de meliantes, soube hoje, quinta-feira, nesta cidade o Wizi-Kongo, do delegado do Interior e comandante provincial do órgão do Ministério do Interior, comissário Monteiro Matias Francisco dos Santos.

Trata-se, como adiantou, da recuperação das referidas armas no período de um ano (12 meses). Entre as armas recuperadas, contam, entre outras, 129 do tipo AKM, 4 carabinas e 58 pistolas, cujo resultado da recuperação destes meios é graças a uma posição implacável pautada pela PN no combate a criminalidade no sentido de manter a ordem e a tranquilidade dos cidadãos.

Quanto aos Serviços Penitenciários, Monteiro dos Santos, avançou que encontra-se sob custodia de 196 reclusos em relação o período anterior, deste número, 52 condenados, 144 detidos de ambos géneros e uma baixa de 3 condenados por falecimento e 348 restituídos em liberdade a ordem das entidades competentes. No geral, são controlados 1.075 reclusos.

Apontou a falta de pavilhões de artes e ofícios para ocupação dos reclusos é um dos problemas que afecta os SP, mas, adianta tudo se tem feito em pequenos grupos que fazem ofícios de electricidade, trabalhos de campo e possui uma sala composta de 15 computadores para aulas de informática.

De igual modo, o comandante municipal do Uíge da Polícia Nacional, superintendente, Alves Mário dos Santos “Surra”, conferiu posse, aos novos comandantes de esquadras, recentemente indicados, aos quais exortou a aplicação de todo o saber no combate à criminalidade. Entre eles, são formados em Ciências Policiais pelo Instituto Superior Osvaldo Serra Van-Dúnem, num total de seis, foram colocados para as esquadras dos bairros do Papelão, Candombe-velho, Pedreira, Mbemba Ngango e Centralidade do Kilomoço.

Na ocasião, Alves dos Santos, destacou o policiamento de proximidade como um dos modelos mais viáveis para se ter a realidade da situação da criminalidade junto da comunidade, pois é na comunidade onde residem os agentes do crime, tendo, igualmente, acrescentado que a iniciativa urge na necessidade de se continuar a velar pelas regras impostas em torno do combate à pandemia da Covid-19, bem como a contenção da situação da venda ambulante em locais não autorizados.

Presenciaram a cerimónia, membros dos Conselhos Consultivos da Delegação Municipal e de Polícia do Comando Municipal do Uíge.

Comentário

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.