A falta de escolas nos municípios que fazem fronteira com a RDC preocupa o governador do Uíge

José Carvalho da Rocha, governador do Uíge.

Por Jeremias Kaboco

Uíge, 28/10 (Wizi-Kongo) – José Carvalho da Rocha, governador da província angolana do Uíge, solicitou, nesta terça-feira (26), a construção de 570 novas escolas, sendo 4.251 salas de aulas, para albergar o maior número possível de crianças que se encontram fora do sistema de ensino.

O governante sugeriu a construção de mais escolas nas zonas fronteiriças da província, nomeadamente, nos municípios de Maquela do Zombo, Quimbele e Milunga, para evitar que as crianças atravessam a fronteira e estudem na vizinha República Democrática do Congo (RDC).

Sem adiantar o número de alunos fora do sistema de ensino, disse apenas que a província do Uíge conta com 1.283 escolas do ensino primário e do I e II ciclos.

José da Rocha, que falava no encontro orientado pelo Presidente da República, João Manuel Gonçalves Lourenço, explicou que a província necessita de 521 escolas primárias, 28 secundárias e 21 institutos politécnicos.

Em relação ao Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM), disse que a província conta com 86 projectos, sendo 55 em execução e outros estão pendentes por diversas razões.

Ao nível do ensino superior, o governador informou que a província conta com quatro instituições, onde frequentam 17 mil e 223 estudantes.

No domínio das infra-estruturas, disse que a província carece de reabilitação e construção de mil e 55 quilómetros de estrada, num total de dois mil 605 quilómetros de malha rodoviária existente na província.

Comentário

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.