Misto do Uíge campão nacional de basquetebol em cadeira de roda sem transporte para regressar à província

Por Alfredo Dikwiza

Uíge, 24/10 8Wizi-Kongo) – Misto do Uíge, campeão nacional sénior masculino de basquetebol em cadeira de roda da recente competição realizada em Benguela 17/23 do mês e ano em curso, encontra-se em apuros para regressar à província do Uíge, por motivos de falta de transporte, fazendo com que, os mesmos continuem até aqui aguardar do governo provincial do Bago Vermelho de uma resposta eficaz, capaz de os tirar das terras das Acácias Rubras.

A equipe foi abandonada em minhas mãos, mas, Deus escreve direito em linhas tortas, no ano passado quando fomos vice-campeões também dormimos na oficina do governo provincial do Uíge, porque o autocarro não tinha pneu de socorro e macaco, viajamos ao Bié com fome, neste ano, outra vez, a história repetiu-se e o autocarro só apareceu um dia depois do dia marcado para viagem, ainda assim, viemos para defender o nosso 2° lugar, pensando em vencer o campeonato e tal feito foi alcançado, começou por contar essa noite ao Wizi-Kongo, o treinador principal do misto do Uíge, Júlio Maingui.

Sim, enviaram-nos um quadradinho que não serve para todos, temos cadeiras de rodas dos atletas, cadeirantes, cadeira de rodas de competição, pastas e muito mais, por tanto, estamos a espera de outras soluções e, foi na certeza, que, as vitórias trabalham-se e as derrotas a anunciam-se, que nós, trabalhamos duro e vencemos a competição”, desabafou, Júlio Maingui. Uíge, destronou a campeão da edição passada, Cabinda, cuja presente prova na sua 17° realização, decorreu em Benguela com 10 equipas masculinas e pela primeira vez com a participação de quatro (4) formações femininas, tendo acrescentado que, precisaram de três (3) anos para equilibrar os resultados e, cm certeza, as vitórias trabalham-se e as derrotas a anunciam-se.

Neste momento, ainda nas terras de Benguela, conjunto uigense encontra-se aflito pois que faz mais de 24 horas que a prova terminou e eles não conseguem regressar a casa por falta de transporte. Assim, lembrou o treinador que, que foram precisos de oito anos para atingir o objectivo, sendo que 1º campeonato realizado no Bié, em 2013, seguiu-se o de 2014, em Malanje, em 2015/Benguela, 2016 Huíla, 2017 outra vez Benguela, 2018, Benguela, 2019/Bié e 2021 Benguela, onde sagraram-se campeões.

A aludida prova iniciada no dia17 e terminada em 23 do mês e ano em curso, obteve a seguinte classificação, 1° Uíge, 2° Cuanza Norte, 3° Escorpiões de Viana, 4° Misto do Bié, 5° Centro de Reabilitação Profissional de Viana, 6° Misto de Malanje, 7° Benguela 8°, 9 e 10° Kwanza Sul e Huíla.

Comentário

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.