Faleceu o Professor Dissengomoka Sebastião Alexandre

Por António Capitão e Nicodemos Paulo 

Morreu na manhã de terça-feira, na cidade do Uíge, vítima de morte súbita, o Professor Catedrático Dissengomoka Sebastião Alexandre. O infortúnio acontecimento foi anunciado pelo corpo clínico da clínica Servimed, minutos depois de ter lá chegado com a família em busca de cuidados emergenciais de saúde devido a fortes complicações digestivas, segundo contou a esposa Catarina Pinto.

Catarina Pinto contou que Dissengomoka Sebastião Alexandre chegou na noite de segunda-feira à casa, vindo do ISCED onde tinha leccionado em algumas turmas, e depois de ter tomado a refeição decidiu dormir. Seguindo-lhe momentos depois, encontrou o professor já em dificuldades mas, ao tentar saber do que se passava, o mesmo apenas gesticulando fez crer que apenas estava a repousar. “Continuei a perguntar se se estava a sentir bem respondeu que sentia cãibra nos membros superiores. Depois deixou de falar e notei que expulsava algumas secreções o que fèz com que pedisse ajuda de um médico vizinho que, naquela altura, não se encontrava em casa. Veio a sua esposa que mediu-lhe a tensão arterial e primeiros socorros. Os vómitos continuaram até por volta da cinco horas da manhã que o levamos à clínica onde os médicos em serviço declararam a sua morte minutos depois sem antes ser assistido”, disse.

O Jornal de Angola tentou ouvir da direcção da clínica Servimed das reais causas do falecimento do académico, mas um funcionário que não se identificou disse que “a equipa clínica está muito ocupada com actividades que são mais prioritárias do que estar aqui a dar informações”. Colegas consternados O Vice-reitor para área administrativa da Universidade Kimpa Vita, Lukonda Bau Nzuzi, prestou, na manhã de ontem, homenagem ao Professor Catedrático Dissengomoka Sebastião Alexandre em sua residência, tendo lamentado o infortúnio acontecimento e considerou a morte do académico como uma “perda irreparável”. “É um momento que nos faltam as palavras para exprimirmos tamanha perda da comunidade académica uígense e do país pelo passamento físico do Dr. Dissengomoka, aquele que foi mestre e orientador para muitos de nós jovens docentes e dirigentes de instituições de ensino superior. Parte o homem, mas ficam suas obras e feitos”, disse.

O director-geral do ISCED do Uíge, Professor Doutor Domingos Kimpolo Nzau, recorda que conheceu Dissengomoka Alexandre no Lubango nos princípios dos anos oitenta como colegas da mesma instituição de ensino. Sendo o malogrado estudante do curso de psicologia e ele no curso de física. “Depois das licenciaturas fomos colocados como professores cada um no seu respectivo departamento. Ele era um professor extremamente competente, muito dedicado no seu trabalho, prova disso é a enorme quantidade de obras publicadas, os artigos científicos espalhados um pouco por todo mundo”, recordou.

Domingos Kimpolo Nzau lembrou que na semana passada, Dissengomoka Alexandre foi homenageado pelo ministério do ensino superior com um diploma de mérito pela brilhante carreira que esteve a fazer para formação de quadros ao mais alto nível. Salamau Mbungulo, estudante do curso de mestrado em ensino de pedagogia no ISCED do Uíge, disse estar surpreendido com a morte catedrático porque “ontem fez uma conferência onde sublinhou as qualidades dum verdadeiro professor, referindo que o professorado não é a profissão daqueles que querem enriquecer mais dos que quer moldar a sociedade em ordem ao bem”. “Era extremamente rigoroso no aspecto afectivo para com os discentes e foi um grande professor, dotado de valência didáctico-pedagógicas inquestionável e um investigador incansável sobre os fenómenos sociais”, disse.

Dissengomoka Sebastião Alexandre nasceu no dia 26 de Março de 1953 (65 anos de idade) na aldeia Wembro, Comuna de Kibokolo, Município de Makela do Zombo, filho de Lunsieo Sebastião e de Diateza Emília. Até a sua morte, desempenhava as funções de coordenador do centro de investigação científica e pós graduação do ISCED-Uíge e docente de cadeiras de psicologia do primeiro ao quarto ano como regente do curso de psicologia.

Com o início da luta de resistência contra o regime colonial foge para RDC em 1961 dando início a sua escolarização. De 1961 a 1967 concluiu o ensino primário na escola protestante de Kimbala Zolele na comuna de Kimpangu. Entre 1967 e 1969 o primeiro ciclo de orientação na escola Kimbanguista de Kimpangu e de 1969 a 1970 o 3ºAno de Pedagogia na escola Kimbanguista de Camp Manteke no município de Kuilo Ngongo.

De 1970 a 1973 conclui o ensino secundária no Colégio Protestante Emílio Adolfo Dissengomoka, tendo participado no exame nacional do Estado com o resultado final de 62%. Regressou a Angola em 1979. De 1980 a 1985 frequentou e concluiu o curso de licenciatura em Psicologia no Instituto Superior de Ciências da Educação no Lubango sob o tema: “Alguns aspectos da selecção dos estudantes do ISCED” tendo obtido como resultado final de 15 valores, sendo a primeira licenciatura na história de Angola Independente a 25 de Maio de 1985.

No período entre 1991 e 1997 concluiu o curso de Doutoramento no Instituto de Educação da Universidade do Minho, em Braga, Portugal, sob o tema: “Orientação vocacional como processo em adolescentes de 14 a 16 anos de Angola” com o resultado final de louvor e distinção por unanimidade do júri a 14 de Julho de 1997 Iniciou a actividade de docente em 1973 como professor primário na RDC, foi responsável por vários departamentos de instituições de ensino superior no país, com destaque como coordenador das comissões de instalação pólo universitário do Cuanza Norte e da extinta Escola Superior de Ciência e Tecnologia (ESCT) do Uíge e também como representante do vice-reitor da Universidade Agostinho Neto (UAN) para o Centro Universitário do Uíge (CUU) de 2003 a 2007. Participou em várias pesquisas científicas no país e no estrangeiro, tendo publica 64 obras sobre psicologia, entre livros e brochuras, como á caso dos Tomo I e II sobre “Psicologia como Ciência da Psique”, publicados sob chancela de sua editora Dilanel em 2004 e “Psicanálise africana ou bruxaria – Tomo I” pela mesma editora em 2006.

Foi, até a sua morte, coordenador da ordem dos psicólogos na região norte do país e deixo ainda uma obra discográfica intitulada “Mundo Complicado”, com oito faixas musicais cantadas em português, Kikongo e Lingala, lançado em 19 de Novembro de 2013.

Comentário
Fichier hébergé par Archive-Host.com

1 Comment

  1. Que a sua alma descansa em paz, que Nzambi a MPUNGU TULENDO o tenha. Nasceu no WEMBO ou melhor WEMBU, aí bem próximo da MISSÃO onde também estou o Profeta Simão Toko.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*