Falsos profissionais a contas com a Justiça

Por Silvino Fortunato

A Polícia Nacional deteve cinco cidadãos nacionais que se faziam passar por enfermeiros e farmacêuticos, surpreendidos a desempenharem funções em postos médicos e farmácias, no município de Maquela do Zombo, província do Uíge.

Os detidos são acusados de exercer ilegalmente as funções, por falta de carteira profissional. Os operacionais do Serviço de Investigação Criminal apreenderam os meios e fármacos usados pelos detidos.

A Polícia Nacional, segundo o relatório semanal, registou 27 crimes de natureza diversa e a detenção de 33 cidadãos nacionais, sendo 22 desempregados, seis camponeses, quatro funcionários públicos e um estudante. Entre os delitos constam três homicídios voluntários, uma violação sexual de menor, falsificação de documentos, uso e porte ilegal de arma de fogo, tráfico ilegal de madeira e contrabando de combustível.

Os homicídios, cujos autores encontram-se em fuga, aconteceram nos municípios dos Buengas, Songo e Alto Cauale (Kangola) , sendo causados por espancamentos e armas brancas.

A informação policial esclarece que a violação envolveu um homem de 35 anos, que forçou uma menor de dez. A Polícia Nacional anunciou também o registo de nove tentativas de entrada ilegal de estrangeiros e de contrabando de combustível, na localidade de Kimbata, em Maquela do Zombo.

As acções operacionais da Polícia permitiram a detenção de dois estrangeiros e de cinco cidadãos nacionais.

Via JA

Comentário
Fichier hébergé par Archive-Host.com

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.