Forças Armadas exortadas salvaguardar paz e unidade nacional

Uíge – A vice governadora do Uíge para sector político e social, Maria Fernandes da Silva e Silva, exortou sábado, no município de Maquela do Zombo, a 310 quilómetros da cidade do Uíge, a tropa a pautar pela preservação da paz e da unidade nacional.

Maria Fernandes da Silva e Silva, que falava no acto que marcou o 25º aniversário da criação do Exercito, lembrou a missão da tropa no garante  da segurança da pátria, da defesa da paz e da independência que custou vidas de milhares de angolanos.

Como realçou, as Forças Armadas têm um papel muito importante na defesa da soberania Nacional, da integridade territorial, da paz e da unidade Nacional.

Frisou que o Exercito, como ramo das Forças Armadas Angolanas,  foi criado a 17 de Dezembro de 1991, com o objectivo e determinação de luta e vencer pela pátria, protegendo a população e as fronteiras,  visando a salvaguarda dos interesses do país.

Maria da Silva e Silva sublinhou igualmente que o exército tem um papel preponderante desde a sua fundação na preparação da juventude para uma nova sociedade, onde encontre a qualificação profissional e moral, originando auto confiança e  estima,  desenvolvendo a motivação e comprometimento como um bom soldado.

Para a fonte, a disciplina militar muda o soldado no sentido positivo, fomentando o espírito patriótico e a unidade.

A disciplina, coesão, o espírito destemido e nova técnica do exército, acrescentou, permitiram ultrapassar a crise política militar,  conquistando-se  a paz em 2002, facto que orgulha todos os Angolanos.

Realçou que com o alcance da paz,  o exército tem desenvolvido projectos de grande impacto social, consubstanciados na formação de quadros, construção de infra-estruturas e outras acções que têm amenizado as dificuldades,  contribuindo na melhoria da vida da população.

Referiu  que o exercito dentro da sua organização,  funcionamento e operacionalidade tem participado em situações de calamidades naturais.

“Passados 25 anos desde a sua constituição, o exercito assume cada vez mais o perfil na cooperação com outros exércitos na SADC e na CPLP, onde tem tido uma oportunidade activa e exemplar nos exercícios técnicos, nas manobras conjuntas, na formação e treinos dos efectivos militares de alguns exércitos do continente Africano”, observou.

Maria Fernandes da Silva e Silva, disse ainda que o Exército está preparado como vanguarda do estado Angolano e vai-se afirmando perante a África e o mundo cada dia que passa, fortificando o seu sistema de defesa, capacitando e actualizando os seus quadros em técnicas de combate e armamento.

Reconheceu os esforços e capacidade dos militares no cumprimento das suas obrigações, lealdade, sentido do dever, espírito de sacrifício, coragem e patriotismo e salvaguarda do território nacional.

Por seu lado, o segundo comandante da Região Militar Norte, Tenente-general Carlos Sachimo, afirmou que o 25º aniversário de existência do Exercito deve servir de reflexão, pois que é uma data histórica na vida dos militares, na luta e no percurso do desenvolvimento.

“Em 17 de Dezembro 1991,  foi criado o embrião com a tomada de posse das primeiras chefias de ramo do comando das primeiras Regiões militares cujo processo foi supervisionado pela comunidade internacional”, frisou, realçando que o exército pela sua especificidade é um ramo com maior agregado.

Apelou aos militares a redobrarem a vigilância não só pela data mas pela aproximação da quadra festiva, evitando  que nada possa perturbar a alegria das populações .

O Oficial solicitou as tropas para que continuem a colaborar no desenvolvimento da economia nacional e que as Forças armadas atinjam o grau de organização e desenvolvimento,  sobretudo,  na coesão combativa.

Comentário

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.