Excremento humano no quadro condiciona aulas na escola Deolinda Rodrigues

Por Alfredo Dikwiza

Uíge, 23/11 (Wizi-Kongo) – Aproximadamente 200 alunos da 1ª classe, período de manhã, correspondentes a duas salas de aulas de bate e chapa, no pátio da escola primária Deolinda Rodrigues (sem número), cita no bairro Kakiuia, na área do Orlando Fonseca), viram condicionadas, hoje, terça, o curso normal das aulas, por terem encontrado excremento humano (fezes) colocado nos quadros pretos, por indivíduos não conhecidos.

Há tempo aquela escola foi transformada em casa de banho e agora os quadros e paredes começaram a ocupar outro papel, que, enquadra-se a de um papel higiénico para limpar o ânus, cujos autores desta sujeira, são os moradores no redor e deliquentes que têm a escola como seu local de fazer e desfazer o que bem lhes apetece.

Hoje, o hábito mudou de fórmula, ou seja, as fezes não foram encontradas no chão, como de costume, muito menos também nas duas salas de bate chapa e, sim, no quadro, quer nas duas salas de bate chapa, quer em outras duas salas de dentro, o que provocou indignação dos mais pequenos e da classe dos docentes daquela instituição académica e, como solução, encontraram no redor do pátio um outro espaço que não tinha fezes e, aproveitaram estudar de maneira improvisada.

No local, como apurou, hoje, terça-feira, o Wizi-Kongo, lidar com as fezes humanas é, quase o pão diário naquela escola, mas costuma ser apenas no chão, cujos professores dão sempre um jeito em limpar as mesmas fezes e de seguida mandar os alunos enDeolinda Rodrigues, Juliana Panzo, foi quem limpou as fezes encontradas no quadro, pois desgastados com a situação, nenhum professor enfrentou aquele excremento humano colocado no quadro.

A escola primária Deolinda Rodrigues comporta seis (6) salas de aulas de construção de raiz e foi acrescentada por iniciativa da direcção da mesma escolas, outras duas (2) de bate e chapa. As duas salas de bate chapa são apenas cobertas no teto. Porém, as salas construídas de finitiva, possuem portas e janelas, mas todas arrombadas pelos marginais, pois também costuma ser muito vandalizada, pelo que, a atenção dos órgãos de segurança e a colaboração dos habitantes no redor é solicitada, tanto pelos professores, corpo directivo, alunos e encarregados de educação.

Comentário

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.