Mau saneamento leva os jovens a protestar

Por Jeremias Kaboco

Uíge, 23/06 (Wizi-kongo) – Praça da independência foi o local escolhido, onde os moradores da cidade  deram início hoje, marchando em várias ruas em protesto a quantidades amontoados de lixo em todas artérias da cidade.

O descontentamento dos manifestantes surgiu pelo facto do governo local não ter tomado medidas eficaz e célere na recolha de resíduos sólidos, falta de iluminação pública, mau atendimento nas instituições públicas entre outros males, com mais de uma centena de participantes foi possível deixarem a mensagem.

A cidade acolhe no próximo mês de Julho as festas da cidade do Uíge desde que passou a categoria de vila à 1 de Julho de 1917 e as condições sociais básica mantem em péssimas condições onde o partido que governa na sua campanha que o levou a vencer as eleições gerais com a maioria qualificada teve como slogan “ CORRIGIR O QUE ESTÁ MAL E MELHORAR O QUE ESTÁ BEM”.

Segundo um dos promotores que falou preferiu falar em anonimato ao Wizi-Kongo, o objectivo foi alcançado visto que a província nunca acolheu acto de género e que no principio contavam apenas com cerca de dez participantes e que ficaram surpreendido com adesão dos populares, alertando ao governador Npinda Simão em trabalhar coso contrario que demita-se, ao longo do percurso que circunscreveu nas ruas da cidade notou-se a exibição de cartazes que apelava a boa gestão da província, saúde digna, escolas e transparência na selecção de candidatos ao concurso público.

Uíge é uma cidade e província de Angola, situado no extremo norte do pais, com uma área de 58.698 Km 2 e cerca de 1.426.354 habitantes de acordo os dados do censo de 2014.

Comentário

1 Comment

  1. Muito sinceramente, sem desprimor para o actual Governador da província, o Sr. Npinda Simão não esta em condições de ser o governador que a província do Uíge merece para se puder guindar na rota do desenvolvimento, para todos os efeitos esta ultrapassado no tempo e no espaço. Devemos repensar a forma de governação se queremos melhores condições de vida económica, social, cultural, etc. Para as nossas populações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*