Pinda Simão defende mentalização do consumo da produção nacional

GOVERNADOR DO UÍGE, PINDA SIMÃO FOTO: DOMINGOS NICOLAU

Uíge – Os angolanos devem mentalizar o consumo da produção local para a construção de uma Angola economicamente diversificada, auto-suficiente e próspera, defendeu, nesta sexta-feira, o governador Pinda Simão, num encontro regional sobre Apoio ao Aumento da Produção Nacional, promovido pelo Ministério da Economia no Uíge.

Segundo o governante, “não basta diversificar a economia nacional e aumentar a produção, mas é preciso que os angolanos mentalizem o consumo do que é produzido localmente, pois devemos ter a consciência que o que produzimos internamente também tem qualidade”, sustentou.

Para o efeito, disse Pinda Simão, desprezar o produto local é abrir espaço para o consumo de produtos importados, financiando assim as economias mais avançadas, onde procuramos os financiamentos para sustentar o nosso desenvolvimento.

Além disso, o governador do Uíge defende ainda que os órgãos do Estado, governos provinciais e outras instituições públicas e privadas, devam organizar-se melhor e ter uma boa capacidade de mobilização diante dos desafios do aumento da produção no país, que deve ser incentivada para que se crie um bom ambiente de negócios.

Para o responsável, o fórum sobre Apoio ao Aumento da Produção Nacional, que a cidade do Uíge acolhe, visa a troca impressões, sanar dúvidas e inquietações, recolher contribuições e permitir a sincronização das acções dos diversos actores da cadeia produtiva económica das províncias, com vista a traçar a estratégia do aumento da produção e da diversificação da económica nacional.

Recordou que várias medidas foram tomadas, nos últimos anos, pelo Governo, para criar um ambiente de negócios para compreender a situação sócio-económica e produtiva do país, como simplificar e desburocratizar processos, atrair investimentos, aumentar a produção interna, substituir as importações, diversificar a economia, promover as exportações, entre outras orientações.

Contudo, segundo o governador, estas medidas não serão sustentáveis se não forem partilhadas e permitir a participação de diferentes franjas da sociedade, com destaque para os importadores e operadores económicos na materialização das mesmas.

Orientado pelo Secretário de Estado para a Economia, Sérgio dos Santos, o evento juntou responsáveis e técnicos dos Ministérios do Comércio, Energia e Águas, Saúde, Ambiente, Ordenamento do Território e Habitação, Construção e Obras Públicas, dos Serviços de Migração e Estrangeiros (SME) do Interior e Ordenamento do Território.

A melhoria da concorrência, pagamento de impostos, abertura de empresas, registo de propriedades, cumprimento de contratos, obtenção de alvará, simplificação dos procedimentos do comércio entre fronteiras, processo de concessão de terrenos, obtenção de vistos, acesso à electricidade e água e melhoria dos acessos rodoviários, foram analisados durante o dia de hoje.

Temas como análises laboratoriais e importação de medicamentos, medidas específicas do sector da agricultura e florestas, indústria, pescas, turismo, recursos minerais e petróleos, acesso ao crédito e prioridade das importações, foram também debatidos pelos representantes das províncias do Uíge, Malanje e Cuanza Norte.

Membros do governo provincial, administradores municipais e seus adjuntos, gestores bancários, empresários, docentes universitários e outras entidades convidadas participaram no encontro regional promovido pelo Ministério da Economia.

Via Angop

Comentário
Fichier hébergé par Archive-Host.com

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.