Reclusos no Uíge querema assistência sanitária adequada. 

Por António Capitão

Os reclusos internados na Comarca do Congo, na cidade do Uíge, e no Estabelecimento Prisional do Kindoki, no Negage, que se encontram doentes nas enfermarias das referidas unidades carcerárias, merecem melhor assistência médica, disse o governador provincial.

Pinda Simão, que visitou as duas unidades penitenciárias para se inteirar das condições de internamento dos detidos e condenados, reconheceu que a assistência sanitária dada aos reclusos não é a mais adequada.

Sebastião Afonso, que leu a mensagem em nome dos reclusos da Comarca do Congo, lamentou a os vários problemas que enfrentam, desde a falta de medicamentos, saneamento, higiene, uniformes e roupas de cama, factores que contribuem para o surgimento de várias doenças.

A sarna, tuberculose e doenças diarreicas são as mais frequentes na enfermaria da Comarca. “Estamos privados de liberdade e, por isso, não é salutar que continuemos sem lazer e diversão. Lamentamos ainda a morosidade verificada na remessa dos processos ao Tribunal Provincial, impedindo que reclusos sejam soltos dentro dos prazos da pena aplicada .

Via JA

Comentário

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.