Universidade Kimpa-Vita necessita de 20 novas salas

Doutor Engº. João F. S. Gaspar da Silva Reitor

Uíge – Vinte (20) novas salas de aulas são necessárias no polo pela Universidade Kimpa-Vita no Uíge, afecto a VII Região académica, para a melhoria do processo de ensino e aprendizagem naquela instituição de ensino superior, anunciou hoje, sexta-feira, o reitor, João Gaspar da Silva.

Esta necessidade foi apresentada durante a reunião com os membros da VI Comissão da Assembleia Nacional (Parlamento) que, durante quatro dias, avaliaram a situação social da província do Uíge, num encontro encabeçado pelo deputado Victor Kajinbanga ( presidente da comissão).

Na ocasião, João da Silva anunciou que a Universidade Kimpa-Vita no Uíge possui 35 salas de aulas, número insuficiente para responder às necessidades dos estudantes matriculados para este ano lectivo de 2019, num universo de oito mil e 817 alunos, pelo que justificam-se mais obras, atendendo que ainda há espaço vasto no seu terreno.

Uma vez construídas as 20 novas salas de aulas, disse, a instituição estará igualmente em condições de enquadramento de outros estudantes. A unidade tem também necessidade de meios de transportes e de mais laboratórios, pois existem apenas os de Química, Engenharia Informática e Agronomia, que são insuficientes.

No capitulo da pesquisa, o professor referiu que a falta de verbas inviabiliza também a implementação e conclusão de alguns projectos, como os trabalhos de investigação científico e dos projectos em cursos como de Bomba de Água Azul e outros.

A Universidade Kimpa-Vita no Uíge tem três unidades orgânicas, as Faculdades de Direito e de Economia e uma escola superior politécnica. Este ano academico leccciona com 185 docentes e 414 administrativos, dos quais 108 colaboradores.

No final da visita, o chefe de VI Coomissão do Parlamento pediu à direcção da Universidade para continuar com as pesquisas e divulgação dos seus projectos, procurando financiamentos para que possam ser implementados com vista a contribuir para o desenvolvimento da província.

Quanto ao ISCED-Uíge, exortou para mais trabalho com vista a melhorar as condições locais de estudo, sobretudo na reabilitação do edifício, aumento de salas de aulas, criação de linhas de investigação científica e a extensão, bem como na formação dos quadros que funcionam nas bibliotecas e laboratórios.

Victor Kajinbanga apelou ainda aos responsáveis do Instituto Superior de Ciencias da Educação (ISCED) para trabalharem também na sustentabilidade da instituição, para a continuidade do processo de melhoramento das condições de ensino e aprendizagem.

Enquadramento de mais quadros nos sectores da educação geral e do ensino superior, formações contínuas dos técnicos, entre outras preocupações, foram abordadas no encontro entre os parlamentares angolanos e os titulares das duas instituiçoes de ensino superior da província.

Via Angop

Comentário

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.