O filme Kimpa Vita: “A mãe da Revolução africana” em Pan African Film Festival, Los Angeles.

Por Sebastião Kupessa

Numa iniciativa da Associação “Royaume do Kongo”, o filme documentário com o título: “Kimpa Vita, a mãe da Revolução Africana”, será projectado em Los Angeles, Califórnia, nos Estados da Unidos de América (EUA), no Pan African Film and Arts Festival (PAFF), a realizar-se nos dias 8 e 19 de fevereiro de 2018.

O Filme que põe em honra uma das maior profetisa da África-Central, está agendado, precisamente nos dias 9 de Fevereiro (sexta-feira, às 13.30m,) e 14 de Fevereiro (quarta-feira, às 16h30m).

Kimpa Vita: “A mãe da Revolução africana”, é um filme realizado por Ne Kunda Nlaba, produzido pelo Larson Bizizi-Kongo, Lda. e enquando a distrbuição está a carco de Africa Bizizi Distribuitions.

O Pan African Film and Arts Festival (PAFF), é o maior e pretigioso festival do filme preto e branco na América do Norte. Na exposição, o festival vai mostrar mais de 150 filmes novos pretos e branco, produzidos pelos descedentes afro-americanos nos EUA, Canada, África, Europa, Caraíbas, Pacífico do Sul, América Central e Latina.

Dr. Diabanza Lusakiovo, o terceiro, apartir da esquerda, entre a esposa e filhos.

Segundo  o Dr. Diabanza Lusakiovo, um dos responsáveis da Associação “Royaume do Kongo”, o soirée de gala de abertura será no dia 8 de Fevereiro de 2018, e prevê mais de 600 convidados, incluindo celebridade hollyhoodianas e cineastas internacionais e locais, cívicas, comerciais e dirigentes comunetários .

O PAFF vai igualmente expôr , artes, fotografias, artesenato raro, móveis, joías, vestuários e acessórios como prova de talentos e da beleza artística africana.

O Grupo “Royaume do Kongo” é uma Associação que reúne descedentes do antigo Reino do Kongo espalhado pelo mundo. Rocha Nefwani um dos fundadores, explica-nos que a sua organização é abreviada em três línguas: Françês, Português e Kikongo, línguas que falam a maioria dos originários do Kongo.

Rocha Nefwani, um dos responsável da Associação “Royaume do Kongo”, em Tucson, EUA.

Apesar a sua sede situar-se em Tucson, nos EUA, o “Royaume do Kongo” conta membros provinientes em diversas partes do mundo. No seu activo conta, também, a realização do primeiro Congresso dos originarios do reino do Kongo, realizado há três anos em Paris na França, sob a direcção do Dr. Makisosila Mawete, docente universitário na capital gaulesa.

Wizi Kongo

Comentário
Fichier hébergé par Archive-Host.com

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*