FNLA diz que militantes tentaram agredir o líder 9 de Setembro, 2018

A FNLA acusou o grupo de militantes que se tem ma-nifestado contra a direcção de procurar atentar contra a integridade física do presidente do partido, Lucas Ngonda.

Numa nota de esclarecimento distribuída sexta-feira, a propósito da presença de militantes junto da sede nacional do partido, em Luanda, a direcção da FNLA informa que o presidente do partido, Lucas Ngonda, aceitou receber, em audiência, um grupo auto-denominado “comissão de manifestantes dos militantes da FNLA”.

No dia marcado, 4 de Se-tembro, constatou-se um aglomerado de pessoas, dentro e fora das instalações do partido, superior ao número apresentado pela mesma comissão para o encontro.

Segundo a nota, assina-da pelo secretário-geral, Pe-dro Macombe Dala, as pessoas apresentavam “atitudes agressivas” e estavam espalhadas pela rua que dá acesso à sede nacional, “proferin-do insultos contra a direcção do partido, ameaçando atentar contra a integridade física do presidente”.

Pelas atitudes e comportamento manifestado publicamente, segundo a nota, concluiu-se que os objectivos dos manifestantes, cuja militância a direcção questiona, eram os de vandalizar as instalações do partido, pondo em causa a direcção. “Assim se consumaria o desejo manifestado de destituir o presidente do partido de forma violenta, fora dos critérios do ordenamento jurídico angolano, que regula o funcionamento dos partidos políticos legalmente reconhecidos”, sublinha a nota.

Diante deste cenário – que incluiu a manifestação de desejo de destituição da direcção do partido, caso o presidente não aceitasse as suas exigências – Lucas Ngonda decidiu suspender a audiência.

A nota esclarece que as questões avançadas pelos manifestantes eram de ín-dole social, relacionadas com o enquadramento dos antigos combatentes do ELNA (extinto braço arma-do da FNLA) na Caixa de Segurança Social das Forças Armadas, que, têm sido tratadas pelos órgãos do partido junto das instituições do Estado.
A título de exemplo, a nota refere que no último encontro com o Presidente da República, em Março deste ano, Lucas Ngonda apresentou um memorando sobre as questões pendentes, incluin-do a problemática dos antigos combatentes da FNLA.

A direcção da FNLA apela aos militantes e dirigentes para “não se deixarem enganar por aqueles que não têm outros objectivos se não os de satisfazer interesses in-confessos, que nada têm a ver com o programa político, económico e social do partido e muito menos com os objectivos definidos pela sua direcção”.
Desde terça-feira que um grupo de militantes da FNLA se tem concentrado nas instalações do secretariado-geral, em Luanda, exigindo a renúncia do líder, Lucas Ngonda.

Segundo a porta-voz da comissão de manifestação contra Lucas Ngonda, Lucinda Roberto Augusto da Costa, que prestou a informação à Angop, o encontro foi marcado pelo próprio presidente da FNLA, na sequência de uma petição de 12 antigos combatentes (anciãos), com Manuel Baptista Fula Fula, um dos membros fundadores do partido, à cabeça.

Lucinda Roberto Augusto da Costa disse que os anciãos  e militantes da FNLA, preocupados com a situação do partido, “pedem a renúncia de Lucas Ngonda da presidência e a convocação de um congresso inclusivo”, como via para  a reconciliação interna.

Via JA

Comentário
Fichier hébergé par Archive-Host.com

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*