HOLDEN ROBERTO, impediu a transferência PEDRO GABRIEL MPEMBELE “NGUNZA” para SPORTING DE LISBOA.

Por Sebastião Kupessa

Em 1973, por causa da “Revolução angolana”, HOLDEN ROBERTO, impediu a transferência PEDRO GABRIEL MPEMBELE “NGUNZA” para SPORTING DE LISBOA.

De 1966 à 1976, o Congo-Democrático (Zaire entre 1972 e 1997), dominou o futebol africano. Os clubes como TP Englebert (hoje Mazembe) e AS Vita-Club, consagraram-se campeões dos Clubes Campeões Africanos. A sua selecção, na mesma modalidade, os famosos Leopardos, tornou-se campeã por duas vezes (1968, 1974), no Campeonato Africano das Nações e uma participação desastrosa no campeonato Mundial de futebol, em 1974, na Alemanha.

Nem todos futebolistas que brilhavam, eram congoleses-democráticos (zairenses), alguns eram ou filhos de angolanos refugiados naquele país visinho de Angola.

O melhor de todos, durante o periódo citado, é sem dúvida, Pedro Gabriel Mpembele “Ngunza”, que infelizmente a sua candidatura para ser selecionado na equipa nacional será vetada, por parte de xenófobos zairenses, por causa da sua angolanidade assumida.

Eis como maná caída no céu, TCHANG-LAY, como era também conhecido, foi convocado na embaixada de Portugal acreditada em Kinshasa, para assinar um contrato como português (poís Angola foi uma província ultramarina portuguesa), para ir jogar num dos clubes famosos da metrópole, Spoting de Lisboa.

A notícia chega aos ouvidos do entâo líder da guerrilha angolana, Holden ROBERTO. Exasperado, este último, responde que o “O NGUNZA é património exclusivo angolano e não português” e convoca o jogador para apresentar-se no seu gabinete de Kinshasa. “Mobali ya Zazu” outro apelido atribuido pelos seus fanáticos, advinhando as intenções do “pai do nacionalismo angolano”, não comparece!

Pedro Mpembele Gabriel será sequestrado pelos serviços secretos da FNLA e é levado a frente de Holden Roberto, depois de estar encarcerado, durante alguns dias, numa prisão. Segundo o velho Nsoki Ventura que assistiu a conversa, o jogador foi acusado de faltar a solidariedade com o povo que sofre de Angola :

“Porque não jogas o futebol com os valorosos guerrilheiros que lutam para libertar Angola dos portugueses, em Kinkuzu? agora tens que escolher, ou ficas na prisão para sempre, ou vai jogar o futebol na base guerrilheira de Kinkuzu, mas não podes jogar pelos “mputulukezu”, a revoluçâo angolana nâo tolera este tipo de traição”.

Ngunza escolheu liberdade e ficou em Kinshasa onde continou a jogar no famoso clube IMANA, em que o próprio Holden foi jogaror de futebol nos anos 40 ( na altura chamava-se Daring Club e hoje com denominaçâo DC Motema Mpembe).

Comentário
Fichier hébergé par Archive-Host.com

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*