Bloco operatório do hospital do Uíge paralisado por falta de técnico

Por Alfredo Dikuiza

Uíge, 30/04 (Wizi-Kongo) – A falta de técnicos especializados capazes de manusear os equipamentos existes no bloco operatório do hospital municipal do Uíge, situado no bairro Novo, periferia da cidade, com o mesmo nome, condiciona o seu funcionamento, como inicialmente era projectado.

A informação foi avançada hoje, terça-feira, à imprensa pelo director geral da referida unidade sanitária, Diasonama Paulo Didie, no fim da visita da delegação do Grupo Parlamentar da UNITA, chefiada pelo deputado, Celso dos Santos, que encontra-se nesta região desde segunda-feira a efectuar visita de constatação sobre o funcionamento das infra-estruturas estatais e privadas.

Além da falta de técnicos para o bloco operatório, Diasonama Paulo Didie, disse, igualmente, que a sua unidade sanitária carece de uma ambulância para evacuação dos doentes em estado critico de saúde, de um gerador para iluminar o mesmo hospital em caso da energia da rede pública sofrer cortes e de um alpendre para acomodar as famílias e outros pacientes em estado normal de saúde.

Segundo ele, através da limitação do bloco operatório no local são feitas apenas pequenas cirurgias e, em caso de evacuação dos doentes em estado critico para o hospital provincial, não têm existido muitas dificuldades, uma vêz que existe uma boa correspondência com as ambulâncias da maior unidade sanitária de saúde na região, no caso, o hospital provincial.

Com uma capacidade para internar 100 pacientes, o hospital municipal do Uíge, entre outros, funciona com serviços de UTI, banco de urgência da Pediatria, banco de urgência dos adultos, sala de parto, gabinete do director clínico, do director, salas de internamentos, maternidade, consultório, secção do PAV, sala de ecografia, maternidade, puericultura, consulta pré-natal, pequenas cirurgias, farmácia, cozinha e refeitório.

As referidas áreas de serviços do hospital municipal do Uíge foram percorridas pela delegação da UNITA, por onde foram recebendo de detalhes sobre seus funcionamentos do quadro técnico existente no local. Em cada área visitada, a delegação da UNITA parava e procurava saber mais pormenores, onde Diasonama Paulo Didie respondia-os sem rodeios.

Depois de manter um encontro a portas fechadas com o governador provincial do Uíge, Mpinda Simão, a delegação da UNITA começou por constatar o funcionamento do gabinete de apoio dos deputados do ciclo provincial, em seguida do hospital municipal do Uíge e seguindo para o município de Negage com o mesmo fim.

Em Negage, a referida delegação, primeiro manteve-se um encontro com o administrador adjunto para os sector social e político Júlio Tuyango, bem como prosseguiu com constatação sobre o funcionamento do hospital municipal de Negage e tendo terminado com a sua visita na fabrica de Água Cesse.

No fim da sua primeira visita à província do Uíge, Celso dos Santos, mostrar-se mais preocupado com o que viu no hospital municipal do Uíge, principalmente, com a falta de uma ambulância, do gerador e da falta de especialistas para labutar no bloco operatório, quanto ao hospital de Negage, o mesmo deputado disse ter ficado com boas impressões.

Comentário

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.