Exoneração de Luís Fungo Dala cria contestação no Púri

Por Alfredo Dikuiza

Uíge, 24/12 (Wizi-Kongo) – A exoneração do administrador municipal adjunto para o sector financeiro do Púri, Luís Fungo Dala, decorrido no transacto dia 20 do mês e ano em curso, uma acção procedida pelo governador provincial, Mpinda Simão, criou onda de contestação no seio dos munícipes, que, pedem a restituição do mesmo no seu cargo.

Caso não lhes for atendido este pedido da restituição de Luís Fungo Dala, em breve será realizada uma manifestação na presença de qualquer dirigente provincial ou nacional que visitar a localidade, cujos promotores da mesma manifestação são os jovens locais que contam com apoios dos mais velhos, tal como avançou hoje, terça-feira, ao Wizi-Kongo, na sede do Púri, o activista Simão Edgar Raimundo Coelho conhecido por Bonzinho Apreciador.

“A juventude do Púri, prepara uma manifestação em data ainda não anunciada, realizar-se-á na presença de qualquer entidade provincial ou nacional que visitar a circunscrição, caso até lá não restituírem o administrador adjuntos exonerado há dias, porque não concordamos com essa medida, tendo em conta o empenho e serenidade do mesmo no exercício das suas funções”, explicou.

A juventude afirma que a sua exoneração é prematura, sustentou, tendo acrescentado que a sua exoneração foi por motivos de um desentendimento com a administradora titular, Delfina António Henriques, em relação as obras do PIIM, na qual Luís Dala pretendia que houvesse concurso transparente, e que cada empresa concorresse e vencer, que as mesmas deveriam apresentar toda documentação necessária, infelizmente, a titular com espírito do passado (José Eduardo Dos Santos), facilitava os seus mais próximo para obter os 10% “famosa gasosa”, com ajuda do secretário Tomás Bembica e do chefe do plano, Vasconcelos Luciano.

Face a isto, sublinhou o activista, com a influência que a administradora que possui no governo provincial do Uíge, fêz com que exonerassem um quadro promissor, jovem e com muito para contribuir no desenvolvimento da localidade. “Infelizmente essa é a província do Uíge, liderada por Mpinda Simão”, suspirou.

Simão Edgar Raimundo Coelho, que responde também, pelo apelido de Smith Coelho, deixou alerta de que a juventude do Púri se encontra disposta a fazer de tudo para a exoneração da administradora titular na circunscrição local, pois, segundo ele, Delfina Henrique continua com espírito de “marimbondo”.

Com 65 aldeias, o município do Púri encontra-se localizado a 88 quilómetros a nordeste da cidade do Uíge, sede capital da província com o mesmo nome, possui uma população de 35 mil 492 habitantes (censo de 2014), a sua população sobrevive da agricultura de subsistência.

Comentário
Fichier hébergé par Archive-Host.com

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.