Acção de estancamento junto de vias rodoviárias

Por Sílvio Fortunato 

As ravinas que tendem a cortar as vias rodoviárias e destruir diferentes  infra-estruturas na província do Uíge têm de ser urgentemente estancadas, para evitar danos maiores e graves, garantiu ontem, no município de Quimbele, o secretário de Estado da Construção.

Numa visita de constatação, Manuel José da Costa Molares de Abril observou a evolução das ravinas que tendem a destruir as estradas Sanza Pombo/Buengas e Sanza Pombo/Quimbele.

Preocupado com a actual situação, o secretário de Estado da Construção espera dar solução ao caso, mas lembrou que a chuva na região tem caído com grande intensidade, o que tem provocado erosão dos solos.

“A intervenção tem de ser imediataporque, se não veremos as vias cortadas, além da destruição de várias infra-estruturas. Temos de trabalhar rapidamente a fim de impedir que as ravinas avancem para as habitações”, garantiu Manuel da Costa Molares de Abril.

O secretário de Estado constatou a existência de nove ravinas que destruíram parcialmente parte das vias Sanza Pombo/Buengas e Sanza Pombo/Quimbele.

Na província do Uíge, constatou-se que há mais de 20 ravinas, a maior parte delas com profundidade de mais de dez metros largura e 300 de comprimento.

Os solos destas regiões são fundamentalmente arenosos, favorecendo, assim, o surgimento das erosões e, consequentemente, das ravinas. Tal característica contribui para que se busquem outros solos por empréstimo, rochas e outros materiais em lugares muito distantes dos que se verificam as ravinas, para o seu combate.

O Ministério da Construção deverá direccionar os trabalhos, numa primeira fase, na contenção ou estancamento daquelas ravinas que ameaçam isolar localidades e destruir habitações. O administrador municipal dos Buengas, Manuel Bunga, informou que, por causa da sinuosidade da via, os transportes colectivos (táxis) escasseiam e a população é obrigada agora a pagar cinco mil kwanzas, entre o município de  Sanza Pombo e a cidade do Uíge e vice-versa, contra os três mil cobrados anteriormente.

Circulação cortada 

A circulação para a comuna de Cuilo Kambonzo, nos Buengas,  já está cortada, de acordo com o administrador municipal, que lembrou que a situação faz com que muitos populares caminhem a pé longas distâncias, em busca de certos serviços sociais básicos.

O estado inoperante da via, segundo o responsável municipal, tem contribuído para a redução da actividade comercial no município e com isso, disse, observa-se uma escassez de produtos básicos, uma situação que preocupa a população.

Na rota para o Quimbele, três ravinas cortaram uma das faixas de rodagem e estão a progredir para a outra. O responsável avançou que a mais extensa ravina, com mais de 400 metros de comprimento, pode ser vista na sede municipal de já derrubou algumas residências.

Via JA

Comentário
Fichier hébergé par Archive-Host.com

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*