Restos mortais do Professor Dissengomoka Sebastião Alexandre foram a enterrar na sua terra natal.

Por Jeremias Kaboco

Uíge, 19/05 (Wizi-Kongo) – Governantes, familiares, Docentes e discentes e não só deram hoje último o adeus ao catedrático Dissengomoka Sebastião Alexandre,
falecido a 15 deste mês. Presentes na cerimónia das exéquias fúnebre, governador Mpinda Simão, vice- governador Afonso Luviluku, administrador de Maquela do Zombo Benji Moco Henriques, docentes universitários vindo de vários ponto de pais, Ordem dos psicólogos de Angola, políticos, fazedores da cultura, familiares e população em geral.

Patrício Batsikama que falou ao Wizi Kongo, descreve Dissengomoka em quatros notas, a primeira nota eu acho que Angola em geral perdeu alguém que sacrificou toda a vida dele, para erguer uma Angola melhor e coloca-lo nas arenas aceitáveis em termo da ciência, do país e não só, isso é irreparável pois ninguém poderá fazer que só ele fazia, o corpo foi mas as ideias ficaram, a segunda nota ele formou muita gente desde os anos 90, de igual modo criou instituições de modo a proporcionar formação e postos de trabalho sobretudo jovens.

O terceiro ponto é a sua visão sobre o desenvolvimento da província do Uíge, era necessário que a província do Uíge tivesse acesso as suas ideias, pois trabalhava sobre o desenvolvimento do Uíge e especificamente para Makela ma Zombo, estes são capitais que a província pode pegar e rentabiliza-los por exemplo a sua ideia de desenvolvimento rural é muito excelente é preciso cria não só escolas mas reintroduzir a cultura local naquela escola para que uma vez formada desenvolvem as sua províncias consoante as demandas locais e por último eu perdi um parente, é meu avô que se foi e de acordo a cultura kongo, avô e neto tem sempre aquela cumplicidade de transmitir a riqueza tradicional, a informação que só se passa aos neto da mesma linhagem, da mesma formou Jesus formou discípulos o malogrado professor Alexandre também de deixou discípulos frisou Batsikama.

Um dos discípulos que Wizi Kongo contactou em Kibokolo, Adérito Carieji disse “Eu tive muito directamente ligado ao doutor Dissengomoka em laços afectivos como académicos na dimensão de ser humano diria que ele foi um pai para mim no momento importante da minha vida estende-me as mãos e o resultado do hoje sou é consequência do ele fez para mim por exemplo. Vivi seis anos com ele e era bastante exigente, conselheiro e persuasivo e mostrava-me o caminho, a herança que malogrado deixou-me é me tornar num bom profissional tanto é que, eu trabalho no sector de ensino e tem uma das que ele usava muito e cito: vocês não precisam ser tropessor, vocês precisam sim é de ser professores, fim de citação. Felizmente me sinto honrado por ser um bom professor e não tropessor”.

Dissengomoka Sebastião Alexandre, deixou mais de 65 publicações de carris científico incluindo uma obra discográfica intitulado “O mundo complicado, lançado em 2013”

Wizi Kongo acompanhou o depositar da urna em Maquela do Zombo na comuna de Kibokolo, aldeia Wembo sua terra natal.

Comentário

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*