Autoridades tradicionais no Púri informadas sobre o PIIM

Por Valter Gomes

O Programa Integrado de Intervenção dos Municípios (PIIM) prevê para o município do Puri, na província do Uíge, várias acções, com destaque para a asfaltagem e sinalização das ruas do casco urbano, reabilitação das vias terciárias, construção de pontes, salas de aula, centros e postos de saúde, bem como a melhoria do saneamento básico e a conclusão de obras não acabadas no ano passado.

O Programa Integrado de Intervenção dos Municípios (PIIM) prevê para o município do Puri, na província do Uíge, várias acções, com destaque para a asfaltagem e sinalização das ruas do casco urbano, reabilitação das vias terciárias, construção de pontes, salas de aula, centros e postos de saúde, bem como a melhoria do saneamento básico e a conclusão de obras não acabadas no ano passado.

Estes dados foram tornados públicos durante a reunião convocada pela Ad- ministração Municipal para dar a conhecer às autoridades tradicionais as acções em curso na região, no âmbito do PIIM.

O presidente da Associação das Autoridades Tradicionais do Puri, Clemente João da Silva, considerou a melhoria das estradas e pontes um factor fundamental para o desenvolvimento do município e o bem estar da população, visto que vai permitir o escoamento de produtos agrícolas, circulação de pessoas e instalação de vários serviços nas localidades, com destaque para os centros e postos de saúde e escolas.

A autoridade tradicional defende a intervenção urgente nas vias que ligam as regedorias do Kinzemba até Kimuinga, com 30 quilómetros, desde a sede do Puri ao município de Cangola, de Calumbo, com a regedoria do Quibaba, até ao município do Bungo, bem como das pontes mais degradadas.

Considerou as referidas localidades zonas estratégicas do município, sobretudo no domínio da agricultura, pescas, bem como nas trocas comerciais. “Queremos maior apoio aos camponeses, sobretudo em máquinas de lavoura e instrumentos básicos, como enxadas, catanas, limas, motobombas e sementes melhoradas, para alargar o nível de produção agrícola”.

Segundo o soba grande, o Puri tem terras férteis e uma população que produz essencialmente mandioca, ginguba, batata doce e rena, gergelim, milho, feijão e abóbora, todavia os camponeses sentem dificuldades no escoamento dos produtos, devido ao mau estado das estradas.

Associações de camponeses

O soba Clemente João da Silva considerou o PIIM um instrumento que vai minimizar os problemas e melhorar as condições de vida da população.
Pediu à Administração Municipal no sentido de primar por uma gestão trans- parente, melhorando os mecanismos de fiscalização, para que a população beneficie das acções previstas no referido programa.

Defendeu também a ne-cessidade da melhoria do abastecimento de água potável nas comunidades, instalação de energia eléctrica, através de grupos geradores ou painéis solares, de moagens, visto que a falta destes serviços cria embaraços ao bem-estar das famílias.

A falta de um posto de identificação civil na sede do município e de uma agência bancária cria dificuldades à população, sobretudo aos funcionários, comerciantes, autoridades tradicionais e empresários. A nível do mu-nicípio estão controlados 219 autoridades tradicionais, 24 regedores e seus adjuntos e 130 sobas e seus auxiliares, distribuídos em 219 aldeias.

Via JA

Comentário

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.